Por cadu.bruno

Brasília - A defesa do ex-presidente do PT e deputado federal licenciado José Genoino pediu neste domingo ao Supremo Tribunal Federal (STF) que possa cumprir sua pena em regime domiciliar. Os advogados de Genoino alegam que o pedido se baseia na precária condição de saúde do petista. Ainda não há decisão tomada sobre o pedido.

José Genoino foi o primeiro condenado a se entregar na última sexta-feiraEstadão Conteúdo

Em julho, Genoino passou por uma cirurgia cardíaca em São Paulo, ficando internado até o dia 20 de agosto. neste sábado, Genoino passou mal na Base Aérea da Pampulha, em Belo Horizonte, logo que o avião da Polícia Federal pousou. A pressão arterial subiu e ele teve que ser atendido e medicado ainda no aeroporto. Ele está preso na Penitenciária da Papuda, juntamente com outros condenados no processo do mensalão.

No sábado, um outro pedido da defesa de Genoino questionava o fato de que o petista foi colocado na Papuda, um presídio em regime fechado, e não estaria cumprindo pena no regime pelo qual foi condenado, o semiaberto.

O ex-presidente do PT foi condenado pelo crime de corrupção ativa com pena de 4 anos e 8 meses de prisão. Ele ainda tem chances de se livrar da punição por formação de quadrilha no julgamento dos embargos infringentes previsto para ocorrer ano que vem no Supremo.

Recurso da defesa de Dirceu

A defesa do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, liderada pelo advogado José Luís Oliveira Lima, também recorreu ao STF no sábado e fala em "gravíssimo equívoco" sobre o regime de cumprimento da pena.

Juntamente com outros sete presos, Genoino e Dirceu chegaram a Brasília num avião da Polícia Federal. Em seguida, eles foram encaminhados para a Papuda, principal penitenciária da capital do país. A condenação por corrupção ativa de Dirceu foi fixada em 7 anos e 11 meses de prisão - logo, tem direito ao semiaberto.

Você pode gostar