Justiça proíbe venda de andador infantil em todo o país

Entidade alega que equipamento coloca crianças em risco de acidentes graves, inclusive com morte. Ainda cabe recurso

Por helio.almeida

Rio - A Justiça no Rio Grande do Sul decidiu liminarmente suspender a comercialização, em todo o país, de andadores infantis. A medida foi tomada em ação civil pública elaborada pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). A entidade alega que o equipamento coloca crianças em risco de acidentes graves, inclusive com morte. Ainda cabe recurso.

Justificativa da instituição é que o andador dá mobilidade para que os bebês se aproximem de fogões%2C piscinas%2C escadas e produtos tóxicosReprodução Internet

A justificativa da instituição é que o andador dá mobilidade para que os bebês se aproximem de fogões, piscinas, escadas e produtos tóxicos. "Em situação biológica de vulnerabilidade potencializada, seja proibida a comercialização visando assegurar os direitos fundamentais à vida e à segurança", informa decisão da juíza Lizandra Cericato Villarroel.

Em julho deste ano, o Inmetro reprovou todas as marcas de andadores produzidas no Brasil. Ainda neste ano, pelo menos três relatos de morte em decorrência do uso do andador por bebês chegaram até a Associação Brasileira de Produtos Infantis. No ano passado, 850 bebês receberam atendimento médico por acidentes em andadores, sendo 60% delas com lesão na cabeça.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia