Por leonardo.rocha

São Paulo - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmim, pediu durante reunião com a presidenta Dilma Rousseff autorização para captar a água da bacia do Rio Federal Paraíba do Sul e despejá-la no sistema Cantareira, que opera com o nível mais baixo de sua história pela falta de chuvas.

Alckmin esteve nesta terça-feira no Palácio do Planalto, em Brasília, para uma reunião com a presidenta, a ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira, e dirigentes da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e da Agência Nacional de Águas (ANA). A intenção do governador é desviar uma parte da água do rio para o Cantareira.

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin Reprodução Internet


O Rio Paraíba do Sul é responsável pelo abastecimento de 15 milhões de pessoas atualmente. O uso de suas águas no abastecimento da Grande São Paulo é discutido há mais de cinco anos e há, inclusive, um projeto de lei na Assembleia paulista sobre o tema.

A proposta nunca saiu do papel porque a transposição para as represas do Cantareira sempre enfrentou resistências de técnicos do Rio de Janeiro, onde 10 milhões de pessoas usam água do rio.

De acordo com o Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul, a água do rio é usada sobretudo para abastecimento, irrigação e geração de energia hidroelétrica.
O Paraíba do Sul se forma no estado de São Paulo pela união de outros dois rios paulistas e deságua no litoral fluminense, sendo antes usado no abastecimento de todo o Estado do Rio de Janeiro.

Você pode gostar