Dilma: 'Wilker nos presenteou com interpretações ícones do cinema e TV'

Arista morreu na manhã deste sábado, no Rio, vítima de um infarto fulminante

Por cadu.bruno

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff lamentou, neste sábado, por meio do Twitter, a morte do ator José Wilker. Diretor, locutor, narrador, apresentador e crítico de cinema, Wilker morreu nesta manhã, aos 66 anos, em sua casa, no Rio de Janeiro, vítima de um infarto fulminante.

>>> GALERIA: Confira fotos da trajetória de José Wilker

“Ator, crítico de cinema e exemplo de dedicação à arte, José Wilker nos presentou com interpretações que se tornaram ícones do cinema e da TV”, disse a presidenta no microblog.

A última participação do ator em novelas foi em 2013, em "Amor à Vida", de Walcyr Carrasco, como o médico Herbert. Em 2012, ele esteve no remake de "Gabriela", como o coronel Jesuíno, que matou a mulher, interpretada por Maytê Proença, e o amante dela tiros após descobrir a traição. Em 2008, na novela "Duas Caras", o ator fez o papel do professor Fernando Macieira.

José Wilker interpretou o Coronel Jesuíno na novela Gabriela%2C da TV Globo%2C em 2012 Maíra Coelho / Agência O Dia

Entre os trabalhos memoráveis, em 1985, viveu Roque Santeiro, na novela "Roque Santeiro" escrita por Dias Gomes e Aguinaldo Silva. Em 2004 interpretou o ex-bicheiro Giovanni Improtta, de "Senhora do Destino", personagem que caiu no gosto popular com os famosos bordões “felomenal” e “o tempo ruge e a Sapucaí é grande”. O sucesso foi tão grande que Giovanni Improtta virou um filme.

Na Globo, dirigiu o "Sai de Baixo" e as novelas "Louco Amor" e Transas e Caretas (1984).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia