Em Recife, greve da PM reduziu participação em protesto

Greve dos policiais começou na última terça-feira; vários estabelecimentos foram saqueados

Por leonardo.rocha

Recife - Com a greve dos policiais militares pernambucanos, a manifestação marcada para esta quinta-feira em Camaragibe, região metropolitana do Recife, teve adesão menor que a esperada pelos organizadores. Integrante do Comitê Popular da Copa, que convocou o protesto, Cláudio Braga disse que a cidade está vivendo clima de terror por causa da greve. “Até as famílias desapropriadas ficaram com medo de ir para a manifestação”, afirmou.

Segundo Rudrigo Souza, que também integra o comitê, cerca de 300 pessoas participaram do protesto, entre elas famílias afetadas pelas obras da Copa do Mundo, grupos em defesa do transporte público, feministas e integrantes do comitê. Souza relata que o protesto ocorreu nas imediações do local marcado para a obra do terminal de integração da cidade, onde se dispersou, a pedido dos organizadores. Eles orientaram que o ato acabasse por volta das 17 horas, antes que anoitecesse, para garantir a segurança dos manifestantes.

A greve dos policiais começou na última terça-feira. Desde então, vários estabelecimentos comerciais da região metropolitana do Recife foram saqueados. O comércio fechou as portas mais cedo, para evitar tumultos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia