Detentos encerram rebelião e liberam agentes e familiares feitos reféns em SE

Motim iniciado no sábado foi encerrado neste domingo com a liberação de 129 pessoas que eram reféns em Aracaju

Por karilayn.areias

Aracaju - Os presos rebelados no Compajaf (Complexo Penitenciário Advogado Jacinto Filho), de Aracaju, em Sergipe, liberaram neste domingo 125 familiares e quatro agentes penitenciários que foram tomados como reféns durante 26 horas, informaram fontes oficiais.

De acordo com a fonte, dois dos agentes apresentavam ferimentos leves, enquanto os demais reféns se encontravam ilesos após a libertação, que só foi confirmada depois de uma longa negociação conduzida por um capitão da Polícia Militar, um juiz e representantes da Comissão Estadual dos Direitos Humanos.

Os parentes dos presos, incluindo mulheres, crianças e idosos, ficaram retidos no Compajaf das 11h de sábado até as 13h30 de domingo, enquanto o motim foi encerrado depois que o governo de Sergipe ordenasse a transferência de vários detidos.

O comandante da Polícia Militar de Sergipe, Maurício Iunes, disse à imprensa local que, “por motivos de segurança”, não divulgará os nomes e o número de presos que serão transferidos.

MOTIM DURANTE VISITA

O motim no complexo penitenciário da capital sergipana foi iniciado durante o horário de visitas dos parentes. Mas as pessoas retidas não foram consideradas reféns pelas autoridades, devido ao fato de que elas não foram ameaçados pelos detentos.
O Complexo Penitenciário Advogado Jacinto Filho é um presídio de segurança máxima com capacidade para abrigar 480 presos e, ao contrário da maioria das prisões do país, não registrava problemas de superlotação.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia