Greve reduz ônibus em Goiânia

Terminais foram bloqueados e veículos só saíram após intervenção de policiais militares

Por felipe.martins , felipe.martins

Goiânia - Subiu neste sábado para 85 o número de ônibus depredados em Goânia desde a manhã de sexta-feira, quando rodoviários iniciaram paralisação em protesto o acordo coletivo assinado entre a Rede Metropolitana de Transportes Coletivos, formada pelas empresas, e o Sindittransporte, que representa os cerca de 4,5 mil motoristas da cidade. As manifestações são organizadas por dissidentes ligados ao Sindicoletivo, que rejeita o reajuste de de 8% e pede 15%.

Na manhã de ontem, piquetes atrapalharam a saída de coletivos em 17 dos 19 terminais rodoviários da Grande Goiânia. Policiais militares foram chamados e garantiram a saída dos coletivos, mas menos de um terço da frota circulou pela cidade.

O Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT-18) considerou abusivo o movimento encabeçado pelo Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Goiânia e Região Metropolitana (Sindicoletivo) e estabeleceu multa de R$ 50 mil por cada ato que impeça ou prejudique a circulação dos ônibus. A Justiça acolheu o argumento das empresas e do Sindittransporte, de que a outra entidade não legitimidade para representar os rodoviários.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia