Sem acordo, São Paulo deve ter greve de Metrô nesta quinta-feira

Funcionários realizam assembleia no final da tarde para determinar início da greve. Categoria pede 16,5% de reajuste

Por leonardo.rocha

São Paulo - Um reunião entre o Sindicato dos Metroviários de São Paulo e representantes do Metrô realizada no final da manhã desta quarta-feira, na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), no centro da cidade, terminou sem acordo. Com isso os funcionários poderão entrar em greve a partir da 0h desta quinta-feira.

O presidente do sindicato da categoria, Altino Melo dos Prazeres, afirmou que os funcionários não aceitarão uma proposta com reajuste menor do que 10%. O reajuste pedido pela categoria é de 16,5%.

No final da tarde, por volta das 18h30, os metroviários farão nova assembleia em que apresentarão a proposta de reajuste de 8,7% levada pelo Metrô e determinarão se a greve realmente começará na madrugada desta quinta.

Mais de 4 milhões de pessoas usam o transporte na cidade de São Paulo diariamente. Das seis linhas do Metrô, apenas uma não deve parar: a Linha 4- Amarela, que liga a Estação da Luz, na região central, ao Butantã, na zona oeste, concedida ao setor privado.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia