Rubem Alves será cremado hoje em SP

Escritor e educador morreu ontem, aos 80 anos, vítima de falência múltipla de órgãos

Por karilayn.areias

São Paulo - O escritor e educador Rubem Alves morreu ontem, aos 80 anos, vítima de falência múltipla de órgãos. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Centro Médico de Campinas, em São Paulo. O velório foi realizado no plenário da Câmara Municipal de Campinas. O corpo será cremado hoje em Guarulhos, numa cerimônia fechada.

Escritor e educador, Rubem Alves morreu por falência múltipla de órgãosReprodução

Rubem Alves estava internado desde o dia 10 de julho, com um quadro de insuficiência respiratória, devido a uma pneumonia. Segundo boletim médico, ele apresentou agravamento das funções renais e pulmonares na sexta-feira.

Considerado um expoente na renovação do pensamento teológico da América Latina, Rubem Alves nasceu em Dores da Boa Esperança, uma pequena cidade do Sul de Minas Gerais. Educado por uma família protestante, ele se formou em teologia no Seminário Presbiteriano de Campinas e doutor em Princeton (EUA), além de psicanalista pela Sociedade Paulista de Psicanálise.

Na década de 60, atuou como pastor presbiteriano na cidade mineira da Lavras, antes de ir estudar em Nova York. Foi professor na Universidade de Birmingham (Inglaterra) e da Unicamp, onde se aposentou.

Rubem Alves publicou mais de 160 títulos, sobre filosofia, educação, literatura infantil e teologia. Um deles, ‘A Theology of Human Hope’, de 1969, é considerado o lançamento de uma linha de pensamento que depois seria definida como Teoria da Libertação.Suas obras foram traduzidas em mais de dez idiomas

Em 2010, o escritor já havia enfrentado um câncer, além de problemas no coração e coluna.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia