Suspeito de série de assassinatos diz que matava por raiva e pede tratamento

Ao lado de seu advogado, vigilante afirmou que não premeditava os assassinatos e que agia “quando a coisa vinha”

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - O vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, suspeito de uma série se assassinatos em Goiânia desde 2011, disse nesta sexta-feira, em entrevista à TV Globo na prisão, que matava movido por “uma raiva muito grande” e que escolhia suas vítimas aleatoriamente entre pessoas desconhecidas.

Ele afirmou que não poderia precisar o número de pessoas que matou, mas falou que poderiam ser até 41. Em depoimento, segundo a polícia, Tiago Rocha confessou 39 assassinatos. Ao lado de seu advogado, Thiago Húascar, Rocha afirmou que não premeditava os assassinatos e que agia “quando a coisa vinha”. Mas não explicou o que seria essa coisa. “Não dá para explicar, era uma raiva muito grande”, afirmou.

Rocha foi entrevistado ao lado do advogado%2C na prisão em Goiâniaagência estado

A maior parte do tempo sem olhar para a repórter que o entrevistava e falando baixo, ele deixou de responder a muitas pergntas, como se achava que era doente mental. Mas disse que considera que tem algum problema e que precisa de tratamento pata curá-lo.

Além disso, ao ser perguntado se já sofrera abuso sexual, afirmou que foi vítima de um vizinho quando tinha 11 anos, mas nunca teve coragem de denunciá-lo e que nem à mãe contou sobre a violência que sofrera. Rocha afirmou ainda que na infância foi vítima de bullyng na escola e no bairro onde morava, mas não deu detalhes.

Em outro momento da entrevista, ele aparentou ter ficado perturbardo ao ser perguntado se, ao ler no dia seguinte notícias sobre seus crimes, sentia algum tipo de orgulho. Depois de um tempo de exitâção ele afirmou que sentia arrependimento.

Em seguida, afirmou querer um tratamento médico para se livrar do seu “sentimento de raiva” e pediu perdão aos parentes das pessoas que matou. “Eu queria pedir perdão pelo que fiz. Acho que agora não adianta mais, mas gostaria de ter a chance de ser ajudado de alguma forma”, disse ele.

Advogado fala em insanidade

Logo após a entrevista de Tiago Henrique Gomes da Rocha, o advogado dele, Thiago Húascar, deu indícios que vai alegar que ele sofre de insanidade. “Ele é insano, tem problema mental e tem que ser tratado”. O advogado alegou que ficou impressionado com a riqueza de detalhes sobre os crimes apresentada por Rocha durante os depoimentos à polícia. Também chamou a atenção o fato de ele se referir às vítimas por números e não por nome e citar os crimes em ordem cronológica.

Além disso, segundo policiais que o interrogaram, Tiago “travava” quando uma mulher entrava na sala. O delegado Murilo Polati, da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios, informou que uma primeira avaliação psicológica do suspeito já está prevista para ser realizada na segunda-feira.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia