Base do governo racha na Câmara

Eduardo Cunha trocou farpas com o petista Henrique Fontana, via Twitter

Por nicolas.satriano

Rio - A disputa pela presidência da Câmara teve nesta quinta-feira mais um dia de troca de farpas, acusações e rompimentos. O peemedebista Eduardo Cunha chegou a afirmar, via Twitter, que o líder do governo na Casa, o petista Henrique Fontana, não seria mais interlocutor da administração Dilma Rousseff com sua base, no PMDB. Para Cunha, Fontana, que declarou apoio ao colega de partido Arlindo Chinaglia, fugiu de atribuição de líder governista. O peemedebista chamou o petista de “fraco, desagregador e radical”.

Teve como resposta que o vice-presidente da República, Michel Temer, do PMDB, assinou uma nota declarando apoio a Cunha. Ele provocou o adversário, afirmando que não vai “reclamar”. “Do ponto de vista da democracia, o vice tem toda legitimidade”, provocou.

Cunha disse que a bancada do PMDB não reconhecerá mais a liderança de Fontana nem participará de discussão do governo se o petista for o interlocutor.

Eduardo Cunha trocou farpas com o petista Henrique FontanaFabio Gonçalves / Agência O Dia


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia