Presidente da CPI da Petrobras diz que Eduardo Cunha vai falar à comissão

Apesar de pedido da defesa, depoimento do ex-gerente Pedro Barusco nesta terça-feira ocorre em audiência pública

Por clarissa.sardenberg

Rio - O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), falará à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras na próxima quinta-feira. O anúncio foi feito pelo presidente da CPI, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), no início da reunião destinada a ouvir o ex-gerente da Petrobras, Pedro Barusco.

“Ontem à noite recebi uma ligação do presidente [da Câmara, Eduardo Cunha] expressando o seu desejo de vir a essa comissão. Já tínhamos alguns requerimentos pedindo a sua presença, mas como não tem sessão deliberativa hoje, nós marcamos para a próxima quinta-feira o seu depoimento”, anunciou Motta ressaltando que o depoimento de Cunha é espontâneo.

O depoimento do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras ocorre em audiência pública. Nesta segunda-feira, a defesa havia solicitado à Câmara dos Deputados que seu depoimento à CPI da Petrobras, nesta terça, fosse a portas fechadas.

Após acordo com a secretaria da CPI, no entanto, a defesa concordou com a realização de uma sessão pública. Os deputados, contudo, não poderão fazer perguntas sobre a vida pessoal ou da família do ex-gerente da estatal.

Eduardo Cunha foi um dos parlamentares citados na lista enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com pedido de abertura de inquéritos para investigar pessoas mencionadas em depoimentos da Operação Lava Jato. Entre os nomes estão outros deputados federais, senadores, ex-governadores e ex-ministros de Estado.

Na última quinta-feira, Cunha compareceu de surpresa à primeira reunião da CPI e se colocou à disposição da comissão para esclarecer denúncias de envolvimento com o esquema de desvio de dinheiro e pagamento de propina na Petrobras.

Logo após a divulgação da lista, Cunha negou, por meio de nota, seu envolvimento com os atos ilícitos investigados pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia