Mulher atira e mata marido policial após discussão entre o casal

Segundo a Polícia Civil, esposa usou a arma de trabalho do agente para cometer o crime

Por marcelle.bappersi

Colegas de trabalho lamentaram o ocorrido. Ele atuava há três anos como investigador na Delegacia de Feira de SantanaReprodução

Bahia - Um policial foi assassinado, na madrugada desta sexta-feira, em São Gonçalo dos Campos, região centro-norte da Bahia. De acordo com a Polícia Civil, a esposa dele, Meire Pedreira, é suspeita de ter atirado na boca de Mario Cesar Pedreira durante uma discussão entre o casal.

Segundo o programa Acorda Cidade, uma equipe policial estava no bairro Conder, onde a vítima morava, realizando o levantamento cadavérico de outro caso quando receberam a notícia de que o investigador, mais conhecido como Mourão, havia cometido suicídio.

De acordo com a delegada Dorean dos Reis Soares, da delegacia de Feira de Santana, os policiais chegaram no local e constataram que não se tratava de suicídio, mas homicídio. A arma usada, uma pistola calibre 40, de uso exclusivo da Polícia Civil, foi encontrada dentro da casa e apreendida.

Mourão foi atingido na boca e morreu no chão do quarto de sua casa. No momento do crime, os filhos do casal, de 17 e 25 anos, estavam na residência. Segundo a polícia, buscas foram feitas nas redondezas para localizar Meire, que fugiu antes da chegada dos agentes.

O policial era lotado na delegacia de Feira de Santana, e há três anos atuava como investigador na unidade. "É com muita tristeza que digo que a Polícia Civil está de luto. Infelizmente esse crime aconteceu. Foi durante uma briga dentro de casa e a mulher de Marão, Meire Pedreira, deflagrou um tiro que matou o policial”, lamentou a delegada.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia