Por gabriela.mattos

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff repudiou o ataque ao senegalês Cheikh Diba, que teve parte do corpo queimado enquanto dormia na rua, no município de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Em sua conta no Twitter, a presidenta disse que o ato é “criminoso” e ofende a “histórica tradição de acolhida e respeito” dos brasileiros a imigrantes. Ela informou ter determinado que a Polícia Federal abra inquérito e investigue o ataque.

CheCheikh Oumar Foutyou Diba, de 25 anos, dormia na calçada na manhã do último sábado, quando foi assaltado e teve o colchão e parte do corpo queimados. O senegalês foi atendido em uma unidade de saúde da cidade gaúcha e liberado no mesmo dia. Dilma disse lamentar “profundamente” o ocorrido e reafirmou o “repúdio a toda forma de violência, intolerância e ódio”.

“Este é um ato criminoso, que deve ser investigado e o(s) responsável(is), severamente punido(s). O Brasil foi e é um país formado em sua esmagadora maioria por imigrantes. Esse episódio ofende nossa histórica tradição de acolhida e respeito aos imigrantes que vêm ao Brasil construir suas vidas. Combatemos a xenofobia, que está se tornando o pior dos males deste século”, escreveu a presidenta na rede social.

Você pode gostar