Por bferreira

Rio - A presidenta Dilma Rousseff está otimista em relação à economia do país. Ontem, em pronunciamento na 41ª Reunião Ordinária do Pleno do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, no Palácio do Itamaraty, em Brasília, Dilma afirmou que a taxa de inflação vem caindo de maneira consistente nos últimos meses e fechará o ano dentro da meta de 4,5%, com tolerância que pode variar dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Dilma reafirmou pactos para Economia, Transporte e reforma políticaAgência Brasil

Ainda de acordo com a presidenta, há dados que desmentem as análises mais pessimistas. “Hoje, nós temos, estruturalmente, melhores condições na nossa economia do que tivemos em anos passados. Temos certeza que vamos fechar o ano com a inflação dentro da meta”, garantiu.

Esse otimismo é seguido de uma preocupação com questões de Saúde, Educação e, principalmente, com a reforma política. Segundo a presidenta, as mudanças devem acontecer por meio de participação popular “como resposta efetiva ao desejo profundo que emanou das manifestações”.

TRANSPORTE PÚBLICO

Dilma anunciou ainda que vai convocar reunião para discutir as tarifas do transporte público. Serão chamados prefeitos, governadores e movimentos sociais, além de setores da academia, prestadores de serviço e trabalhadores da área, entre outros.

A presidenta lembrou ainda que foi o “transporte de má qualidade, extremamente apertado e com frequência não tão adequada” que desencadeou as manifestações que tomaram as principais cidades do país. Ela destacou que o governo tem feito ações para melhorar o setor.

“Até junho, havíamos autorizado 192 projetos de mobilidade urbana na área de transporte de massa, em cem cidades de médio e grande portes, com investimento de R$ 89 bilhões. Eu anunciei, quando lancei o pacto, que o governo estaria disposto a colocar mais R$ 50 bilhões para obras de transporte coletivo nas cidades brasileiras”, afirmou.

Você pode gostar