Maioria dos moradores de favelas são de classe média, diz pesquisa

De acordo com o levantamento, número quase dobrou de 33% para 65% em dez anos

Por helio.almeida

Rio - A porcentagem de moradores de favelas brasileiras que são de classe média dobrou em 10 anos. É o que mostra pesquisa realizada pelo Data Popular em parceria com a CUFA (Central Única das Favelas). De acordo com o levantamento, 65% dos 11,7 milhões de moradores de favelas no Brasil são de classe média - quase o dobro dos 33% registrados em 2013.

No Brasil como um todo, a população se divide em 22% de classe alta, 54% de classe média e 24% de classe baixa. A porcentagem de moradores que são de classe baixa caiu de 65% para 32%, enquanto a de classe alta teve ligeiro aumento, de 2% para 3%.

Duas mil pessoas foram entrevistadas em 63 favelas de todas as regiões do Brasil e a margem de erro é de 2,24 pontos percentuais. Também foram utilizados os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Censo IBGE e da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF).

A pesquisa mostra que houve aumento no percentual dos moradores com emprego (de 49% em 2003 para 54% em 2013. A renda anual dos moradores de favela atingiu a soma do consumo total das famílias do Paraguai e Bolívia.

O consumo aumento: 99% dos moradores de favela do Brasil têm geladeira, 91% têm ferro de passar roupa e 69% têm máquina de lavar. 20% possuem carro e 13% têm moto. Comprar um carro no próximo ano está no horizonte de 1,1 milhão de brasileiros que moram em favelas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia