Por tamyres.matos
Morador de área pacificada não vai precisar ir à agência da Previdência para fazer serviços mais simplesAgência Brasil

Rio - Áreas pacificadas do Rio e com número menor de moradores também serão beneficiadas por iniciativas do INSS no ano que vem. A partir de fevereiro, o instituto levará o Programa de Educação Previdenciária (PEP) a comunidades que têm Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs). A primeira a receber o projeto será a do Cerro-Corá, na Zona Sul (confira abaixo o calendário de impmantação). Associações de moradores e ONGs locais funcionarão como uma espécie de ‘agência avançadas’ parceiras do INSS.

“Vamos procurar os representantes das associações e das ONGs para treinarmos líderes comunitários”, explicou o gerente-executivo da Gerência Centro do INSS, Flávio Souza.

Haverá palestras sobre direitos e serviços oferecidos pelo instituto. A ideia é capacitar líderes comunitários para atuarem como disseminadores. Eles terão condições de auxiliar moradores que precisarem de serviços ou informações mais simples sem precisar ir à agência da Previdência Social.

Segundo Souza, será possível consultar o extrato previdenciário, o contracheque e fazer agendamento de concessão de benefícios, entre outras possibilidades. “Com um computador ligado à internet nas associações de moradores, o líder comunitário treinado vai prestar esclarecimentos aos seus vizinhos”, avalia.

Conforme O DIA mostrou ontem com exclusividade, comunidades pacificadas maiores vão receber, a partir de janeiro, uma vez por mês, unidade móvel que prestará serviços como inscrição no cadastro do INSS e fazer cálculo de tempo de contribuição.

Fique atentoO DIA

Colaboradora da Associação dos Moradores do Morro da Formiga, na Tijuca, a agente comunitária Nilza dos Santos, 61 anos, acredita que muitos moradores vão tirar dúvidas e, assim, aproveitarão para se cadastrar como trabalhadores formais.

Você pode gostar