Por joyce.caetano

A Itaipu Binacional bateu nesta segunda-feira, pelo segundo ano consecutivo, o próprio recorde de produção de energia elétrica. Às 15h45 a hidrelétrica atingiu 98,3 milhões de megawatts-hora (MWH) e ultrapassou a marca anterior, de 98,2 milhões de MWH. Agora, deve registrar até esta terça-feira (31), no acumulado do ano, cerca de 98,5 milhões de MWh de geração.

Este ano, a produção da usina hidrelétrica chinesa de Três Gargantas, que chegou a ameaçar o título da binacional no ano passado, foi 10% menor.

O superintendente de Operação, Celso Torino, ressalta que a média de produção do biênio (recordes de 2012 e 2013) é 7 milhões de MWh superior à dos últimos cinco ou dez anos. "Acreditamos termos chegado a uma faixa ótima de operação", conta.

Para chegar ao resultado, ele cita aprimoramento de processos internos, como melhorias no programa manutenção preventiva e diminuição do desperdício de água, e também a processos externos, com o objetivo de ter maior disponibilidade de recursos em momentos de consumo. "Conseguimos coordenar melhor a cadeia de suprimentos". A taxa de produtividade da usina este ano ficou entre 97% e 98%.

Torino aponta que Itaipu conseguiu reduzir em 0,10 ponto porcentual sua participação no mercado nacional este ano, de 17% para 16,9%, tendo em vista que o consumo de energia elétrica se manteve praticamente o mesmo crescimento do ano passado, em 3,3%.

A tendência é que a participação de Itaipu no sistema energético nacional diminua de forma mais acelerada, tendo em vista o esgotamento do potencial hidrelétrico, previsto para entre 2025 e 2030, seja pelo crescimento de outras matrizes energéticas, como a eólica, e o início de operação de outras usinas hidrelétricas, como a de Jirau e Belo Monte.

A usina chega agora perto de sua capacidade máxima, entre 100 e 102 megawatts-hora (MWH). Porém, ela só deve ser atingida em 2015. "Em 2014, não devemos ter a mesma performance, devido à uma maior distribuição de energia pelo sistema nacional, com o objetivo de dar mais segurança para o País receber eventos como a Copa do Mundo e as eleições. A meta é ter ao menos capacidade de geração de 95 megawatts-hora", conta.

A usina de Itaipu é, atualmente, a maior hidrelétrica do mundo em geração de energia. Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada. A produção acumulada do período de 1984 a 2013 totaliza 2,1 bilhões de MWh.

Você pode gostar