Por thiago.antunes

Rio - As microfranquias são uma opção para quem tem pouco dinheiro e sonha em deixar na gaveta a carteira de trabalho para tornar-se dono do próprio negócio. São franquias enxutas de até R$ 80 mil, que oferecem opções com investimento inicial a partir de R$ 8 mil, com a lava jato Acquazero, e retorno em até 24 meses.

Para Arthur Hipólito, fundador do Grupo Zaiom, uma das maiores redes do mercado de microfranquias, o diferencial do setor é que ele cresce mesmo quando a economia não vai bem. Isso porque muitos trabalhadores decidem abrir a própria empresa para alavancar a renda. A rede reúne as marcas Home Angels, Home Depil, Amigo Computador, Dr. Faz Tudo, Dr. Jardim, Tutores e Fale Globish. O investimento inicial é a partir de R$ 20 mil.

Investimento inicial é de R%24 8 mil em microfranquiasBanco de imagens

Trabalhando em casa

Na microfranquia Doutor Resolve, que oferece serviços de reparos, reformas e limpeza, o franqueado pode trabalhar de casa pelos primeiros seis meses de operação. “O empresário pode trabalhar de casa, nos seis primeiros meses de operação, para enxugar os gastos, mas não deve fazer os serviços oferecidos pela franquia. É preciso contratar funcionários”, diz o presidente David Pinto. O investimento inicial na marca é a partir de R$ 15 mil, para uma cidade com 30 mil habitantes.

Na Seguralta, microfranquia de seguros, que tem investimento inicial a partir de R$ 16.500, o franqueado pode optar por dois modelos: o mais enxuto, em que o empresário trabalha de casa, e o padrão, que inclui um ponto comercial.

Na maioria das vezes, segundo Marcelo Macri, diretor de marketing da rede, o franqueado começa com a estrutura mais básica e após os primeiros meses consegue expandir. “O risco do negócio é baixo porque o investimento inicial é muito pequeno”, considera o executivo.
Entre outras redes de baixo custo, tem a Amigo Computador (R$ 10 mil), Auto Spa Express (R$ 9.900), BagNews (R$ 25 mil) e Dr. Jardim (R$20 mil).

Cuidados ao entrar no segmento

Apesar da expansão das microfranquias, é necessário cuidados ao investir nesse segmento. Antes de fechar o negócio, o ideal é verificar se a marca tem, pelo menos, um ano de operação e solicitar um estudo de viabilidade.

O empresário precisa ter disposição para trabalhar, pois será ao mesmo tempo administrador, vendedor e gestor. Fazer um planejamento de longo prazo também é crucial para a microfranquia não se tornar uma armadilha.

Segundo André Friedheim, diretor da ABF e da consultoria Francap, é preciso avaliar os custos pós-lançamento, como reposição de estoque, impostos, royalties e encargos trabalhistas. Em geral, o investimento inicial inclui ponto comercial, taxa de franquia, equipamentos, primeiro estoque e capital de giro. É preciso analisar também os prazos determinados em contrato, será executará o trabalho em casa, com funcionários ou ponto comercial.

Reportagem de Patrícia Basilio

Você pode gostar