Por bferreira

Rio - Os funcionários técnico-administrativos das instituições federais de Ensino Superior em todo o país aprovaram o indicativo de greve por tempo indeterminado, para o dia 17 deste mês. A categoria está insatisfeita com a falta de reajuste para repor a inflação, além da ausência de respostas à pauta de reivindicações, e o não cumprimento de termos do acordo da greve de 2012.

Os servidores também são contra a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), vinculada ao Ministério da Educação, que foi criada pelo governo federal para administrar os hospitais universitários. Os funcionários alegam que a instituição representaria o começo do processo de privatização dos órgãos públicos.

No dia 11, haverá assembleia dos servidores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) para discutir sobre a paralisação. O sindicato da categoria já confirmou que vai participar da greve.

O encontro acontece às 10h, no auditório do Centro Cultural Horácio Macedo, no Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN), localizado na Avenida Brigadeiro Trompowski s/nº, na Cidade Universitária.

Funcionários da Universidade Federal Fluminense (UFF), da Universidade Federal do Estado do Rio (Unirio) e da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) também vão aderir à paralisação.

Em 2012, tanto os técnico-administrativos, quanto os professores das universidades federais cruzaram os braços por reajustes salariais e melhores condições de trabalho, entre outras questões.

Você pode gostar