Cesta de Páscoa vai pesar menos no bolso este ano

Valor médio dos principais itens da ceia ficou abaixo da inflação. Bacalhau e chocolate foram os alimentos com as menores variações no período

Por thiago.antunes

Rio - O custo da Páscoa vai pesar menos no bolso do consumidor este ano. Apesar de o preço médio dos itens tradicionais da celebração ter subido 2,84% de abril de 2013 a março deste ano, o percentual ficou abaixo da inflação do período, que foi de 6,09%, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Getúlio Vargas (FGV). No ano passado, os mesmos produtos estavam em média 48% mais caros em relação ao ano anterior e subiram muito acima da inflação de 6,16%.

Economista do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre/FGV), André Braz explica que em termos reais a ceia de Páscoa vai ficar mais barata. “A variação abaixo da inflação faz com que os salários compensem o aumento de quase 3%”, afirma.

O padre Ricardo França%2C 54 anos%2C acredita que%2C embora o preço da ceia de Páscoa não esteja baixo%2C o valor cobrado pelo bacalhau é justoUanderson Fernandes / Agência O Dia

Principal símbolo dessa festividade, o chocolate foi o alimento que teve a menor variação, de apenas 1,16%. O bacalhau também não encareceu muito: 3,02%. Pescados frescos, por sua vez, ficaram 12,71% mais caros, assim como o atum (15,83%). O vinho teve alta de 5,03% e o azeite, de 7,67%.

O padre Ricardo França, 54 anos, foi às compras para a ceia do Domingo de Páscoa. Ele passa com a família, e achou o preço do bacalhau justo. Para economizar, pesquisou preços até encontrar o produto mais barato. “Essa é uma data importante, merece atenção especial”, diz.

Já o engenheiro mecânico Albert Lins Franco, 30, procura comprar com antecedência, quando encontra bons preços. Para a ceia deste ano, ele já adquiriu as bebidas e os ingredientes do prato principal. “Percorro as lojas até encontrar as melhores ofertas, com qualidade. Só não vou comprar ovos de Páscoa, que estão muito caros”, afirma.

Crescimento das vendas

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) espera crescimento de 7,2% nas vendas de produtos de Páscoa este ano, em comparação com 2013. A época é considerada a segunda melhor para o setor, depois do Natal. Presidente do Conselho Consultivo da entidade, Sussumu Honda acredita que os resultados surpreendam positivamente.

“A data é uma grande oportunidade para vender, além dos produtos típicos, como os ovos de chocolate e as colombas, mais frutas, peixes e bebidas, como vinho”, conta. Todos os produtos tiveram aumento de encomenda pelos supermercados junto aos fornecedores em relação a 2013. Peixes tiveram maior crescimento (8,2%), seguidos de cerveja (7,8%), refrigerante (5,6%) e chocolate (5,6%).

Peixe

Para André Braz, o desafio dos consumidores na Páscoa deste ano é o peixe fresco, que teve um dos maiores aumentos de preço. E o bacalhau, apesar de ter subido pouco, ainda é um dos mais caros do mercado. “A saída é recorrer a pescados parecidos com o bacalhau, só que mais baratos”, sugere Braz.

Ofertas

Outra forma de economizar é comprar o bacalhau na promoção e congelar o produto até a data de consumo. Consultor de varejo, Marco Quintarelli afirma que é possível manter o pescado congelado por até três meses.

“Primeiro, é necessário dessalgá-lo. Depois, enxugar bem com pano ou papel absorvente, apertando levemente para secar um pouco. Pincele todo o peixe com um bom azeite, para impedir o ressecamento provocado pelo gelo. Por fim, guarde no freezer em um vasilhame bem fechado”, ensina Quintarelli.

Antecipe-se

“Quem quiser comprar na véspera pode ter surpresa desagradável, com preços mais altos”, afirma André Braz. Segundo ele, o melhor é começar a pesquisar desde já e aproveitar as promoções que surgirem.

Presentes

Este ano, o preço dos ovos de chocolate tem variação de R$ 5,99 a R$ 150, ou até mais, dependendo do tamanho e da marca. Para não gastar tanto, a dica é substituir por barras de chocolate. Os mais criativos podem fazer cestas de Páscoa com itens variados. Garrafa de vinho também é uma opção. É possível encontrar boas marcas com valores acessíveis, entre R$18 e R$ 30, por exemplo

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia