Investigação sobre Eike e OGX pode virar caso de polícia

Ministério Público Federal confirma envio de inquérito que apura irregularidades na petroleira para a Polícia Federal

Por karilayn.areias

Rio - O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro confirma que enviou à Polícia Federal inquérito civil público para apurar se houve irregularidades na fiscalização das atividades da OGX, petroleira do empresário Eike Batista.

O órgão investiga a responsabilidade da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no caso.

Na sexta-feira, a CVM confirmou que apura se Eike utilizou informação privilegiada para comprar e vender ações como acionista controlador e presidente do Conselho de Administração da OGX e também se o empresário manipulou preços dos papéis.

O inquérito foi instaurado no dia 6 de dezembro, quando foi dado pelo procurador um prazo de 20 dias para que a CVM prestasse informações acerca do andamento atualizado de seis processos administrativos sancionadores que envolvem os negócios do empresário, inclusive com cópias de eventuais conclusões.

O MPF apenas confirma que o inquérito foi enviado à Polícia Federal e que o pedido foi feito no início de abril. A Polícia Federal aponta que ainda não recebeu o documento.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia