Concurso para auditor fiscal do Estado é esperado para junho

Concorrido pela remuneração acima de R$ 13 mil, o cargo exige Ensino Superior

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Carlos Carrilho ficou na primeira colocação no concurso de 2011Divulgação

Rio - Uma jornada de trabalho de 40 horas semanais, com remuneração de R$13.186,76. Esses são os atrativos para quem quer tentar uma vaga no concursos para auditor fiscal no Estado do Rio. O cargo é desejado por grande parte dos concurseiros. E a divulgação do edital da próxima seleção deve ocorrer até meados de junho, como afirmam especialistas do setor e fontes ligadas à Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz/RJ). O órgão já obteve autorização do governo para fazer o certame.

Ainda não está definido, no entanto, o número de vagas para o cargo que exige Ensino Superior em qualquer área de atuação. Como a Fundação Carlos Chagas foi a banca do último concurso, em janeiro deste ano, a expectativa é que a organizadora da prova seja a mesma.

“A prova de auditor fiscal é extremamente concorrida e cobra conhecimentos avançados em todas as disciplinas. Quem não se preparar adequadamente, vai ter dificuldade ao fazer a prova”, informa Fernando Bentes, diretor acadêmico do site Questões de Concursos.
Bentes diz que o candidato pode se basear na banca do último concurso para estudar. “Se a escolhida não for a fundação o candidato pode mudar seu foco, mas pelo menos terá estudado com base na última prova para o cargo”, avalia.

Mariana Fittipaldi, professora do site Questões de Concursos, revela que o edital da última seleção foi bastante extenso e abordou quase todos os temas de Direito Civil. “Sugiro um aprofundamento nos seguintes temas: Lei de Introdução ao Código Civil, com ênfase nos direitos reais sobre coisas alheias, Direito das Obrigações, com atenção às formas de extinção das obrigações e sua não-execução”, enumera.

A especialista em Direito Civil diz que ainda pode cair Teoria Geral dos Contratos e Contrato de Doação.
“Porque nesse assunto incidem impostos estaduais. Sucessão também é outro tema cotado por abordar implicações tributárias estaduais”, diz.

Aline Aurora, professora do Gabarita Português, diz que em relação à Língua Portuguesa pesa interpretação de texto, que acaba sendo um diferencial. “O candidato precisa ler muito e fazer um bom curso para aprender algumas técnicas e assuntos básicos de interpretação textual”, aconselha.

Conteúdo extenso

Sobre Direito Penal, Gílson Campos, professor do site Questões de Concursos, orienta o estudo dos precedentes judiciais proferidos pelo STF e pelo STJ, que têm a mesma importância em relação às lições teóricas e doutrinárias.

“As bancas examinadoras sempre se guiam pelo que foi julgado por esses dois tribunais para elaborarem seus gabaritos”, explica Campos.

Carlos Eduardo Carrilho, primeiro colocado no concurso de auditor fiscal em 2011, comenta que esta prova é uma das mais difíceis do Brasil. Tem uma quantidade enorme de matérias com conteúdo extenso.
“É preciso estudar sempre, para que a ‘bagagem’ adquirida faça a diferença. A peculiaridade desse concurso é o fato de que cada matéria exige uma nota mínima a ser alcançada para o candidato não ser eliminado. Ou seja, o candidato não pode deixar de lado nenhuma das matérias”, dá a dica Carrilho.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia