Dia de pagamento fica sem saque nos bancos

Greve dos vigilantes continua sem expectativa de encerramento. Paralisação deve atrapalhar assalariados que vão receber no próximo dia 5, quinta-feira

Por bferreira

Rio - A três dias para o pagamento de muitos assalariados, a greve de vigilantes dos bancos ainda causa transtornos para os correntistas. Os saques não estão sendo feitos na boca do caixa, deixando muitos usuários com poucas opções. Além disso, quem segue pelas saídas alternativas, como as lotéricas e o atendimento automático, enfrenta filas longas.

Com vigilantes em greve%2C correntistas não conseguem acessar caixas de bancos e precisam utilizar com frequência os aparelhos 24 horasDivulgação

Mesmo assim, representantes das instituições financeiras afirmam que não é vantajoso para os bancos que a greve continue, como tem sido comentado por correntistas do Rio, e garantem que esforços estão sendo feitos para que os vigilantes descruzem os braços. Procurados, os maiores bancos do país não quiseram comentar o assunto.

Para o advogado e sócio-fundador da Graziadio & Marques Advogados Associados, João Carlos Guimarães, entretanto, não se verifica um empenho por parte dos bancos em solucionar o impasse. “Não sei explicar o motivo, porém, é verdade que está em curso uma manifesta política de esvaziamento das agências, em que os bancos estimulam cada vez mais a utilização de autoatendimento”, explica. Ele afirma, ainda, que é possível concluir que existe alguém lucrando com a greve de vigilantes instalada, “mas não são os consumidores e tampouco a categoria que agoniza sem sinalização de acordo no horizonte”.

Já, segundo o advogado especialista em direito trabalhista e associado da Camello e Coppos Advogados Associados, Marcelo Camello, o banco é que perde com a greve. “Considerando o perfil do usuário que comparece em uma agência é, justamente, aquele que carrega seu bolinho de dinheiro para pagar contas ou efetuar algum depósito, assim a agência sofrerá a consequência da perda desta entrada financeira”

Mesmo assim, o vice-presidente do Sindicato dos Vigilantes do Rio (SindVigRio) afirma que a negociação está sendo dificultada por representantes e pelas instituições financeiras. “Eles não responderam nossa solicitação de diálogo, feita no início da greve.” Ele também reclama da diminuição de vigilantes nos bancos ao longo dos anos pela iniciativa privada. “Isso acaba fragilizando cada vez mais a segurança dos próprios vigilantes, dos bancários e dos clientes”, disse.

A categoria quer aumento de 10% no salário e mudança de R$ 13 para R$20 no tíquete alimentação.

OPÇÃO PARA NÃO PAGAR JUROS

INTERNET BANKING. Acessível 24 horas por dia, o internet banking é uma opção para o correntista pagar contas, ver saldo e fazer transferências, além de não precisar enfrentar as longas filas. Ainda pode ser acessado por aplicativos em smartphones.

LOTÉRICAS. Alternativa para quem, mesmo sem ser correntista da Caixa Econômica, não quer perder os prazos das contas e pagar juros. É possível também sacar dinheiro, ver saldo, extrato e fazer transferências.

SHOPPINGS E AEROPORTOS. A vantagem dos caixas 24 horas desses endereços é que dificilmente ficam sem dinheiro estocado. É alternativa para quem precisa sacar depois de agências físicas já terem fechado. Além disso, a segurança é mantida no local.

CARTÃO PRÉ-PAGO É BOA SAÍDA PARA CLASSE C E D

De acordo com pesquisa do Instituto Data Popular, mais de um terço da população brasileira não possui conta em banco. O levantamento mostra que 55% dos pagamentos de salários no país são ainda realizados em dinheiro e movimentam R$ 665 bilhões ao ano.

O cartão pré-pago contribui para a entrada das classes C e D no sistema bancário. Alguns motivos são a não necessidade de comprovar renda para adquirir o cartão, já que quase metade dos não-bancarizados (44%) não trabalha e 17% são donas de casa. Além disso, também não há consulta aos serviços de proteção ao crédito, como SPC e Serasa para a compra do crédito.

Algumas vantagens da modalidade é que ela possibilita compras em lojas online a quem não possui contas em banco ou cartões de crédito tradicionais — sete em cada dez solicitações de cartões de crédito pós-pagos são negadas pelas instituições financeiras. O sistema pré-pago também permite enviar ou receber depósitos de outras pessoas.

Também há o controle sobre os gastos porque é preciso recarregar o cartão antes de efetuar as compras, o que incentiva o planejamento.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia