Três agências federais com editais próximos de sair

Antaq, Anatel e Abin devem oferecer 713 vagas com ganhos de até R$ 14 mil

Por bferreira

Rio - A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) deverão realizar concurso este ano. Há uma grande carência de pessoal nessas três autarquias.

O certame da Antaq está programado para ofertar 143 vagas de níveis Médio e Superior. A portaria do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), que autorizou a seleção, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) de 22 de janeiro, na qual determina que o edital seja publicado no máximo em seis meses. Ou seja, até 22 de julho. Portanto, resta pouco mais de um mês para o concurso sair. As remunerações chegam a R$11.776,90.

Já a Anatel tem apenas um mês para divulgar o edital de seu concurso. Autorização do MPOG foi dada no dia 30 de dezembro do ano passado. Estão previstas aberturas de 100 cargos para os níveis Médio e Superior. Os vencimentos são semelhantes aos valores pagos na Antaq.

A Abin deverá oferecer 470 vagas. No momento, o processo de autorização tramita no âmbito do Ministério do Planejamento. As remunerações estão entre as melhores no serviço público. O oficial de inteligência recebe R$14.662,34 e o oficial técnico de inteligência, R$13.538,03.

DICAS

“A preparação para a prova dessas três autarquias deve ser feita com antecedência porque são cargos muito disputados. Até a definição da banca do concurso, o candidato deve tomar como referência para seus estudos os editais passados. Destaco as disciplinas que sempre são cobradas, como: Português, Direito Administrativo e Direito Constitucional”, aconselha Giuliano Menezes, professor do curso online Agora Eu Passo.

O especialista orienta que o período pós divulgação deve ser usado para o estudo das novidades do edital e o treinamento com exercícios de questões anteriores para relembrar o conteúdo.

Denis França, professor do site Questões de Concursos, diz que uma característica comum entre Antaq, Anatel e Abin é a maioria das provas ser de conhecimentos específicos, voltados para os cargos, que dependem de uma qualificação bem peculiar.

“É claro que todas as agências têm os cargos administrativos, cujos conteúdos cobrados são um pouco mais genéricos”, ressalta França. “Mas aqueles que pretendem concorrer às vagas de especialista e agentes de Inteligência, por exemplo, devem estar ligados nas atribuições específicas dos cargos para orientação dos estudos”, acrescenta o professor.

Atenção às ‘pegadinhas’

Denis França, do site Questões de Concursos, lembra que todos os últimos certames das agências foram organizados pela banca Cespe/UNB. “É claro que pode haver mudanças, mas há uma clara tendência de que isso se mantenha, o que auxilia os candidatos a se prepararem fazendo as questões dessa banca, para melhor compreensão do perfil das provas. O que é salutar para o ajuste de como, quanto e o que estudar”, dá a dica o especialista.

A secretária Pamela Martins, de 23 anos, aluna do Universo do Concurso, está se preparando mais diretamente para o concurso da Abin. “Estou estudando primeiro as matérias básicas. Optei por fazer curso aos sábados por conta do trabalho”, afirma a secretária. “De dia, estou trabalhando e, à noite, cuido das minhas filhas. O bom é que ainda não saiu a autorização e, com isso, o tempo para estudar é maior”, afirma a concurseira.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia