Feirão da Construção Civil abre 3 mil vagas de emprego

Evento ocorre no Campo de Santana, no sábado, e terá ainda 10 mil chances de cursos

Por bferreira

Rio - O setor da construção civil no Rio oferece mais de três mil postos de trabalho durante o 4º Mega Feirão da Indústria da Construção que ocorre neste sábado, no Campo de Santana, no Centro. O evento está marcado das 8h às 16h e contará com a participação de pelo menos 20 empresas. Também haverá oferta de cerca de 10 mil vagas para cursos de qualificação em instituições de ensino, entidades representativas e o poder público.

Em 2013%2C o evento registrou 42 mil atendimentos nos estandes. Expectativa é ampliar este númeroDivulgação

Promovido pelo Serviço Social da Indústria da Construção (Seconci-Rio) e o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro (Sinduscon-Rio), o feirão deste ano terá uma novidade que é o Espaço Estágio. No local, estudantes de Engenharia Civil e Arquitetura vão poder se inscrever para tentar uma vaga nas empresas que participam do evento e, assim, ingressar no mercado.

“É uma oportunidade tanto para quem busca um emprego quanto para os que já estão no mercado e querem ampliar sua qualificação ou se reciclar. O Espaço Estágio é também uma excelente chance para o jovem que está próximo de se formar e quer ter uma experiência na área. Afinal, o estágio é a melhor forma de ingressar no mercado de trabalho para quem está terminando uma graduação”, explicou Ana Cláudia Gomes, coordenadora de Relações Institucionais do Seconci-Rio.

Ana Cláudia destaca ainda as oportunidades de empregos e cursos para as pessoas com deficiência. “Há grandes empresas do setor, que estarão no evento, precisando contratar pessoas deste segmento para preencherem suas cotas obrigatórias”, informou.

A coordenadora de Relações Institucionais do Seconci-Rio lembra que no ano passado o evento recebeu mais de 17 mil pessoas, com cerca de 42 mil atendimentos em todos os estandes.

“Até o momento, já estão definidas duas mil vagas de emprego. Entretanto, até sexta-feira a quantidade de empresas participantes deve aumentar e este número certamente vai ultrapassar três mil postos de trabalho, como ocorreu ano passado”, estimou Ana Cláudia.

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO

O 4º Feirão terá apoio do Sistema Firjan, do Senai Rio e da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). O Senai Rio estará com inscrições abertas para 349 vagas gratuitas em cursos de qualificação. Durante o evento, a instituição vai oferecer ainda oficinas gratuitas de hidráulica, elétrica, revestimento cerâmico e pintura de paredes. Palestras de orientação profissional também serão ministradas por especialistas do Senai. O Instituto Euvaldo Lodi (IEL-Rio) também participará cadastrando para seu banco de estagiários.

Os cursos do Senai Rio com inscrições abertas na feira serão para carpinteiro de obras, pedreiro de revestimento em argamassa, armador de ferragem, aplicador de revestimentos e cerâmicos, pedreiro de alvenaria estrutural, almoxarife de obras e pintor de obras.

As aulas começam no segundo semestre nas unidades de Honório Gurgel, Jacarepaguá e Tijuca. Para participar, é necessário ter o 5º ano do Ensino Fundamental completo e mais de 18 anos de idade. Os documentos para a inscrição são identidade, CPF, comprovante de residência e de escolaridade, além de autodeclaração de baixa-renda.

Setor tem cenário de recuperação

O setor da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro acumula perdas expressivas na geração de empregos há três anos. A queda foi de 81,75% entre 2011 e 2014. No período de junho de 2011 a junho de 2012 o setor contratou 41.611 contra apenas 7.592 no biênio 2013/2014. Os dados são do Sinduscon-Rio.

Em junho deste ano, houve perda de 1.421 postos de trabalho, contra a abertura de 154 postos em maio. No primeiro semestre foram 7.213 novos empregos contra 13.023 no mesmo período em 2013 e 30.220 em 2012.

Para Antônio Carlos Mendes Gomes, diretor-executivo do Sinduscon-Rio, o setor está voltando a contratar.Segundo ele, o fim de grandes obras de infraestrutura provocou o alto número de demissões. “A retração de investimentos no setor também resultou em redução de abertura de novos empregos. O término de obras de mobilidade e de infraestrutura para a Copa do Mundo contribuiu para o percentual elevado de dispensas no setor. No entanto, há um cenário de recuperação com as obras para os Jogos Olímpicos que estão começando. O setor pode crescer ainda mais após as eleições quando ficar definido qual o presidente que estará à frente do país nos próximos quatro anos", explicou o diretor-executivo.

Gomes ressalta ainda que as três mil vagas de emprego oferecidas pelo 4º feirão são um bom sinal de recuperação do setor. “É a construção civil já abrindo novos postos de trabalho e oferecendo cursos de aprimoramento e qualificação de mão de obra”, acrescentou o dirigente.

Ana Cláudia Gomes do Seconci-Rio diz que o mercado imobiliário também está aquecendo a indústria da construção. “O déficit habitacional no Estado do Rio ainda é grande e há muitos empreendimentos imobiliários em vista. Além de programas de governo, com o ‘Minha Casa Minha Vida’”, analisou a coordenadora. “A Construção Civil ainda é um dos segmentos que mais contrata. Dados mostram que a cada cinco vagas uma é deste setor”, destacou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia