Sucesso nas finanças: Conheça o melhor financiamento

O crédito, que praticamente sumira do mercado imobiliário desde a década de 1980, retornou com mais força

Por bferreira

Rio - Ficou mais fácil comprar imóvel nos últimos tempos. O crédito, que praticamente sumira do mercado imobiliário desde a década de 1980, retornou com mais força. Mesmo com as incertezas vigentes na área econômica, não falta dinheiro no mercado para quem tem a ficha limpa e quer deixar de pagar aluguel para morar no imóvel de seus sonhos.

Destaca-se que, com a estabilidade econômica, os prazos de financiamento se alongaram, o que permitiu uma redução significativa no valor das prestações. Com a queda dos juros, é possível obter um crédito por até 35 anos a uma taxa razoável.

Até para quem tem poupança e pode pagar à vista, o crédito imobiliário tornou-se uma alternativa bastante atraente. Saiba abaixo qual o melhor financiamento.

Por Jair Abreu Júnior

PERGUNTA E RESPOSTA

“Pretendo me casar em 24 meses, mas eu e meu noivo não temos condições de fazer festa e guardar dinheiro para dar entrada no financiamento da casa. Gostaria de saber quais são as formas de financiamento imobiliário existentes.”

Luisa, Méier

Luisa, os financiamentos imobiliários têm muitas características — e uma parte significativa dos que pretendem se tornar mutuários não tem informações suficientes para escolher a melhor proposta. Falta muita informação no mercado, pois é comum pessoas partirem para a compra de imóveis sem saber da necessidade de fazer reservas financeiras para pagar o custo do contrato, o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e o registro no cartório.

Existem diversos modelos de financiamento, porém, o sistema de prestações decrescentes pode ser o mais vantajoso. Muitos candidatos a mutuário se sentem mais confortáveis em obter um financiamento em que o valor das prestações é fixo e definido previamente (Tabela Price). Mas o custo total do financiamento pelo Sistema de Amortização Constante (SAC), em que as prestações começam um pouco mais altas e perdem valor ao longo do contrato, é bem menor.

A diferença a favor do SAC, cujas parcelas também são prefixadas, pode chegar a 15% da quantia a pagar ao banco, ou até mais, dependendo do valor do crédito. Tanto nos financiamentos feitos pelo SAC quanto pela Tabela Price, o saldo devedor é corrigido mensalmente pela variação da TR. Só que, pelo SAC, como as prestações iniciais são mais altas , a amortização do saldo devedor é mais acelerada.

Recomendo observar, também, que para facilitar o processo de compra, é possível entrar com o pedido de financiamento no banco antes mesmo de encontrar o imóvel que procura. Se o pedido for aprovado, o banco fornecerá uma carta de crédito como garantia de que você terá o dinheiro necessário para fechar o negócio. A carta tem validade por, no mínimo, três meses. Em geral, é concedida até cinco dias úteis após a entrega dos documentos.

Jair Abreu Júnior é coordenador em Gestão Financeira da Universidade Estácio de Sá

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia