Eisa paga salário em atraso só no dia 7

Em situação difícil após dois meses sem receber, três mil trabalhadores têm nova promessa da empresa

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - O drama das famílias dos três mil trabalhadores do Estaleiro Ilha S.A (Eisa), com salários atrasados há dois meses, deve terminar na próxima quinta-feira. É quando encerra o prazo estipulado pela empresa para saldar a dívida com os funcionários. O pagamento estava prometido para quinta-feira, porém, os diretores da companhia pediram o adiamento em reunião com representantes do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio (Sindimetal-Rio), na sede do estaleiro na Ilha do Governador.

No pátio do sindicato%2C um grupo de funcionários do Estaleiro Eisa reclama do atraso no pagamento dos salários e dos benefícios sociaisEstefan Radovicz / Agência O Dia

Para amenizar a situação, R$ 560 referentes a dois dos três meses de vale-alimentação em atraso foram depositados ontem a cada um dos funcionários, segundo o presidente do Sindimetal-Rio, Alex Santos. “A direção do Eisa se comprometeu a fazer o pagamento dos salários atrasados, a regularização do plano de saúde e de um terço de férias até o quinto dia útil de agosto (dia 7). Nessa data também está marcado o retorno dos funcionários ao trabalho”, afirmou.

Santos acrescenta, porém, que os trabalhadores só retornam a ativa, se o salário estiver depositado. “O pagamento do vale não resolve plenamente o problema dos trabalhadores, mas dá um fôlego. Porém, nossa luta é para quitar todas as questões inerentes aos trabalhadores, até pagarem tudo que nos devem”, diz o sindicalista.

Conforme o presidente do Sindimetal-Rio, cerca de 600 trabalhadores que estão com os cartões de alimentação bloqueados terão que esperar até quarta-feira para receber o benefício, quando a empresa entregará novos cartões.

Na sede do sindicato, para obter novas informações da situação, trabalhadores relataram o momento difícil que vivem. O pintor Anderson Lima, 29 anos, disse que toda a sua família está sofrendo. “Não sei o que fazer. Já pedi dinheiro emprestado para todo mundo. Tenho uma filha de quatro meses e preciso comprar fraudas”, relatou.

O encanador Edson Costa, 51, estava de licença médica e foi pego de surpresa ao ver o estaleiro fechado e a falta de pagamento do salário. “Sofri um acidente e ainda não recebi o dinheiro do seguro. Volto ao trabalho e encontro uma situação dessas. A gente tem que esperar o pagamento sair, mas as contas não esperam”, reclamou o profissional.

Thiago Figueira, 42, montador de estrutura pesada, está com o aluguel vencido. “ A minha sorte é que posso contar com a minha filha, que ajuda a pagar algumas contas”, contou Figueira.


Outro lado: Dificuldade de fluxo de caixa

Nenhum representante do Estaleiro Eisa foi encontrado para comentar a situação. No entanto, a empresa divulgou nota no site do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval), no dia 16 do mês passado, informando que a dívida com os trabalhadores seria paga até o fim de julho (ontem). Um documento também explicava os motivos no atraso dos salários.

“O atraso no pagamento da folha deve-se à dificuldade momentânea de fluxo de caixa do estaleiro, por conta principalmente da inadimplência de alguns armadores responsáveis por parte das encomendas ao Eisa. Embora esteja com suas operações paralisadas, o estaleiro garante que não é sua intenção encerrar as atividades, pois tem uma carteira de encomendas robusta com bons clientes”, informava parte da nota do Estaleiro Ilha S.A. (Eisa).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia