Sucesso nos concursos: Novos governos, menos seleções?

Sempre que as eleições se aproximam os concurseiros ficam apreensivos

Por bferreira

Rio - Sempre que as eleições se aproximam os concurseiros ficam apreensivos. Muitos questionam se o próximo governo manterá as seleções ou não.

Em outros períodos eleitorais e até mesmo sem ser eleitorais esses questionamentos já foram feitos. Em 2007, por exemplo, o governo federal anunciou que pararia as contratações por concurso público, que não haveria mais processo seletivo algum, mas a determinação não aconteceu. A recomendação é que continuem os estudos. Isso fará com que você, que não desistiu de estudar, se fortaleça, esteja mais bem qualificado para quando a oportunidade surgir.

O que você estudar agora, mesmo que a decisão de paralisação momentânea seja adotada, não se perderá no futuro.

PERGUNTA E RESPOSTA

“Ouvi dizer que o próximo presidente pode diminuir o número de concursos. Gostaria de saber se é verdade. Devo continuar minha preparação mesmo assim? ” 

Aliana Moraes, por e-mail

Aliana, sempre há uma certa insegurança a todos os candidatos ao serviço público quando as eleições se aproximam. Isso tem feito com que alguns alunos venham me procurar para saber se vale mesmo ou não continuar estudando. A questão é a desmotivação que esse ‘buxixo’ pode provocar no meio acadêmico.

No entanto, quero lembrar a você, candidata, que esse filme, nós já vimos antes, em outros períodos eleitorais e até mesmo em não eleitorais. Podemos citar que, por ocasião da extinção da CPMF, lá em 2007, o governo federal anunciou que pararia as contratações por concurso público, que não haveria mais processo seletivo algum. Pois é, aconteceu exatamente o contrário. Vimos novamente esse filme quando ocorreu a crise financeira internacional, em 2008. Mais uma vez os concursos continuaram.

Claro que não posso garantir que agora será diferente, mas posso fazer essa análise otimista, sim, por conta do que venho observando como especialista do setor ao longo dos anos. Vou enumerar algumas razões que justificam a minha opinião. Inicialmente, vale lembrar que o governo precisa repor quadros que são reduzidos a partir de aposentadorias.

Temos ainda investimentos constantes em bancos, como o Banco do Brasil, Banco Central e Caixa Econômica Federal, que com frequência abrem mais agências por todo o país.

A ampliação das agências do Instituto Nacional do Seguro Social também é uma promessa do governo federal, que só poderá ser cumprida se servidores forem contratados.

Neste momento, uma postura correta, na minha avaliação, é manter o ritmo de estudos. Estudar é acumular conhecimento. O que você estudar agora, mesmo que a decisão de paralisação momentânea seja adotada, não se perderá no futuro.

Bons estudos!

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia