Docentes da Uerj sem perspectivas de ganhos reais

Defasagem salarial de 86%, carência de professores e incorporação da Dedicação Exclusiva na aposentadoria são pleitos já conhecidos dos docentes

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Defasagem salarial de 86%, carência de professores e incorporação da Dedicação Exclusiva (DE) na aposentadoria são pleitos já conhecidos dos docentes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), mas que parecem não ter a merecida atenção por parte do governo. Os temas citados são ano a ano debatidos pelas entidades sindicais, pela Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e até mesmo pelos alunos da instituição. Contudo há pouco avanço na ação do governo, aponta a Associação dos Docentes da Uerj (Asduerj).

A expectativa da entidade é que o segundo mandato do governador Luiz Fernando Pezão tenha mais diálogo com a classe. Mas os últimos atos do Poder Executivo têm deixado a categoria descrente de que haverá novidades para o ano que vem.

Um dos pontos centrais reivindicados pela associação é a recomposição salarial do corpo docente. De acordo com estudos da associação, os professores da universidade estão há 12 anos sem reajuste de perdas inflacionárias, acumulando uma defasagem de mais de 86%. Segundo a entidade, o último aumento foi conquistado após uma longa greve em 2001 e a última parcela paga em abril de 2002.

Na avaliação da Asduerj, os docentes que mais sofrem com esta situação são os aposentados e auxiliares, que não tiveram ganhos efetivos com as melhorias conquistadas no plano de carreira, como a Dedicação Exclusiva na greve de 2012.

Uma demanda apontada como histórica pela Associação de Docentes da Uerj, a DE como regime de trabalho, conquistada após as paralisações de 2008 e 2012, pode perder sua atratividade para os professores.

A entidade sindical aponta que a remuneração pode não ser mais incorporada à aposentadoria. A inclusão vem sendo questionada por um parecer jurídico do Rioprevidência, alegando que a Dedicação Exclusiva está caracterizada como regime especial e não como sistema de trabalho por ser remunerada por via um adicional pago.

A Asduerj informou que tramita na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei 3.232/2014, de autoria da Comissão de Educação da Alerj, que propõe emendas à Lei da Dedicação Exclusiva , explicitando o direito ao benefício na aposentadoria.

Segundo representantes da associação, o Conselho Universitário da Uerj aprovou no segundo semestre deste ano uma moção de apoio ao projeto de lei do Legislativo.

Pedro Ernesto

A falta de recursos humanos no Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe) tem sido um problema que se arrasta há anos, aponta a associação. Segundo denúncias internas, alguns serviços, como o de radiologia, foram suspensos devido à falta de pessoal. Cirurgias e outros procedimentos são cancelados, prejudicando pacientes e a formação dos alunos da Uerj.

Carência no quadro

A Asduerj aponta ainda que é necessário abrir concursos públicos para diminuir o quadro de carência de professor na universidade. A coluna abriu espaço para que a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) abordasse os pontos destacados pela associação de docentes e encaminhou todos os pleitos da categoria, contudo, não houve retorno.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia