Prévia da inflação oficial tem alta de 0,89% em janeiro

A inflação oficial foi pressionada principalmente pelo item carnes, que liderou os principais impactos individuais do mês

Por tamara.coimbra

Rio - A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) inicia o ano ano em alta de 0,10 ponto percentual que variou de 0,79% para 0,89% entre dezembro do ano passado e janeiro deste ano.

Em janeiro de 2014, o IPCA-15 subiu 0,67%. No acumulado dos últimos 12 meses (taxa anualizada) o índice ficou em 6,69%, acima do resultado de 6,46% registrado em 2014. A taxa foi divulgada nesta sexta-feira, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As carnes pressionaram a inflação de janeiro medida pelo IPCA-15, do IBGEReuters

A alta do IPCA-15 relativo ao mês de janeiro — prévia do IPCA do mês — a inflação oficial, que serve de parâmetro para as metas fixadas pelo Banco Central, foi pressionada principalmente pelo item carnes, que liderou os principais impactos individuais do mês, com 0,09 ponto percentual (p.p.) e alta de 3,24%.

Também pressionaram a inflação neste início de ano itens como a batata-inglesa (32,86%) e o feijão carioca (24,25%), que juntos levaram o grupo alimentação e bebidas a ser, com variação de 1,45%, responsável por 40% do IPCA-15 de janeiro, detendo 0,36 p.p.

Outra contribuição importante foi a energia elétrica, com 0,08 p.p de alta, representando 2,6% do IPCA-15 de janeiro. Depois dos alimentos e bebidas, a energia elétrica foi o segundo item exerceu as maiores pressões para o IPCA-15 de janeiro. Em todas as regiões, foi apropriada parte do efeito do Sistema de Bandeiras Tarifárias, modelo de cobrança do gasto com usinas térmicas, que passou a vigorar a partir de primeiro de janeiro, ressaltou o IBGE.

Os gastos com habitação subiram 1,23% e os ônibus urbanos, com 0,07 p.p., teve alta de 2,85%. No grupo das Despesas Pessoais, que variou 1,39%, o destaque ficou com o item empregado doméstico, que subiu 1,49%, além de outros serviços como cabeleireiro (1,54%) e manicure (1,82%).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia