Custo da bandeira vermelha cai 18% mas conta de luz reduz apenas 2%

Adicional na tarifa de R$ 5,50 por cada 100 KW diminui para R$ 4,50

Por thiago.antunes

Rio - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem a redução de 18% no valor da tarifa da bandeira vermelha, o sistema de cobrança de custo mais alto que vigora atualmente na conta de luz por falta de oferta de geração de energia elétrica. Com a decisão, o valor adicional para cada 100 kWh consumidos cai de R$ 5,50 para R$ 4,50.

Para os consumidores, o novo valor corresponderá a uma redução de 2% no custo da conta de luz. A mudança entra em vigor em 1º de setembro e vai até 31 de dezembro. A decisão foi adotada em razão da redução no custo de produção de energia decorrente do desligamento de 21 termelétricas, com custo variável unitário maior que R$ 600 MWh, aprovada no início deste mês.

Custo da bandeira vermelha cai 18% mas conta de luz reduz apenas 2%ABr

Apesar do pedido das distribuidoras de energia elétrica para que o valor seja mantido, devido ao aumento dos custos de geração de energia, a diretoria da Aneel entendeu que o uso das bandeiras deve refletir o cenário de disponibilidade da geração e não os problemas de caixa das distribuidoras.

O parque gerador de energia elétrica no Brasil é formado em sua maior parte por usinas hidrelétricas. Para funcionar, as usinas dependem da chuva e do nível de água nos reservatórios das usinas. Quando há pouca água armazenada, usinas termelétricas precisam ser ligadas para não interromper o fornecimento de energia. Com isso, o custo de geração aumenta, pois as usinas são movidas a combustíveis mais caros, como óleo combustível e diesel. Mas a Aneel alerta que a redução da bandeira ainda não representa melhora na geração. (Com Agência Brasil)

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia