Antecipação do 13º do INSS injeta R$ 1,7 bi na economia

Pagamento será feito a 2,5 milhões de beneficiados estado do Rio a partir do dia 24

Por bferreira

Rio - A economia do estado do Rio receberá uma injeção de R$ 1,702 bilhão a partir deste mês com o depósito do adiantamento da primeira parcela do 13º salário de 2,548 milhões de segurados do INSS (aposentados, pensionistas e também quem que recebe auxílio doença). O pagamento de metade do abono natalino será feito entre os dias 24 de setembro e 7 de outubro de acordo com o último número de inscrição do segurado na Previdência Social.

Comércio deve se beneficiar com a antecipação%2C mas especialistas recomendam pagar dívida ou pouparMarcela Beltrão

A folha de pagamento começou a ser rodada na última sexta-feira, a partir da publicação de decreto assinado pela presidenta Dilma Rousseff. Em todo o país, serão pagos R$ 15,972 bilhões a 28 milhões de segurados — destes, sete em cada dez beneficiados recebem o valor de um salário mínimo.

Segundo o INSS, esta é a décima vez consecutiva que a antecipação será garantida pelo governo, que deposita a primeira parcela do 13º em agosto desde 2006, depois que o ex-presidente Lula fechou um acordo com centrais sindicais. Esse ano, porém, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, resistiu a assinar o pagamento — a equipe econômica do governo alegou falta de verba e chegou a propor o parcelamento da antecipação em duas vezes.

Clique e confira as datas de pagamento

A decisão criou uma queda de braço entre a Fazenda e a Previdência Social, que defendia o pagamento integral da primeira parcela do abono natalino. A briga teve um ponto final depois que a proposta foi negada pela presidenta Dilma Roussef. A outra metade do pagamento deverá ser paga normalmente na folha de novembro, depositada em dezembro.

O Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical (Sindnapi) chegou a entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar o governo federal a antecipar a primeira parcela do 13º salário. Por lei, a primeira parcela tem de ser paga até 30 de novembro de cada ano — prazo que era cumprido até 2005.

Sobre a parcela antecipada não incidem descontos, como Imposto de Renda. Segundo a legislação, o IR só é cobrado no pagamento da segunda parte do abono.

A Região Sudeste receberá R$ 8,238 bilhões do total do adiantamento do 13º, equivalente a 51% dos R$ 15,972 bilhões pagos em todo o país. O Nordeste receberá R$ 3,3 bilhões, seguido da região Sul, com R$ 2,9 bilhões. As regiões Centro-Oeste e o Norte receberão, respectivamente, R$ 786 milhões e R$ 603 milhões.

Orientação é quitar dívidas

A renda extra depositada para os segurados do INSS vai representar um alívio no bolso de quem já acumula dívidas. Segundo o economista Alexandre Espírito Santo, professor do Ibmec-Rio, é fundamental evitar gastos supérfluos e usar o dinheiro para quitar dívidas e se livrar de juros.

“Sem dúvida nenhuma o melhor a se fazer é pagar dívidas, principalmente por conta das taxas de juros muito altas. O ideal é dar preferência para pagar as mais caras e que não são possíveis de renegociar. Mas é importante apostar na barganha. Com o dinheiro na mão, a pessoa tem mais poder de negociação, pode ir até o credor e pedir desconto”, orienta o especialista.

Já para os que não acumulam dívidas, a sugestão é evitar gastar o dinheiro. Em meio ao cenário de instabilidade econômica no país, o especialista sugere poupar o adiantamento do 13º salário e optar por investimentos de baixo risco .

A dica vale, principalmente para os aposentados. Segundo o último levantamento da Serasa Experian, os idosos correspondem a quase 7 milhões de pessoas que acumulam dívidas no país. O número equivale a cerca de 1/3 da população dessa faixa etária (23,7 milhões, segundo o IBGE) e representa 12,4% dos 56,4 milhões de inadimplentes do país.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia