Abrindo caminhos para a inovação

Conferência vai trazer ao Rio representantes do Media Lab, um dos mais importantes centros de inovação do mundo

Por O Dia

Rio - Não tem jeito: a única maneira de brigar contra uma crise é trabalhando pesado. Se conseguir inovar, melhor ainda,porque somos um povo muito novidadeiro —pelo menos quando se trata de tecnologia. Por isso, sugiro veementemente que os profissionais da área participe da conferência EmTech Brasil, que vai trazer ao Rio representantes do Media Lab, um dos mais importantes centros de inovação do mundo, instalado no Massachusetts Institute of Technology, EUA. Serão 800 cientistas, empresários e empreendedores, todo mundo trocando ideias sobre o que está nascendo mundo afora —e abrindo caminhos para quem tiver bons projetos.

Não por acaso, o destaque especial da EmTech, que acontece pela primeira vez no Brasil mas já está no calendário oficial de outros países, fica com o “Prêmio inovadores com menos de 35 anos”. A lista de projetos inscritos mostra em que áreas estamos investindo mais: internet e web (com 36% do total de inscritos), software (17%), biotecnologia e medicina (12%) e nanotecnologia (9%), entre outras. Alguns brasileiros já ganharam outras edições do prêmio. Vale ficar de olho no site www.EmTechBrasil.com.

Ah, sim: estive lá no Media Lab há alguns meses, com a turma do Lide Futuro. Para quem ama tecnologia, é um parque de diversões. Mas, quando você o compara com o que está acontecendo no Brasil, dá uma certa tristeza...

ALGUNS NÚMEROS, MUITAS IDEIAS

Pesquisas podem parecer chatas, mas são importantes porque são um retrato do nosso mercado de tecnologia. Isso é fundamental, por exemplo, para as pequenas empresas que estão procurando um bom nicho para atacar no mundo digital.

Por isso é bom saber que a Secretaria de Comunicação Social da Presidência divulgou ontem a “Pesquisa de mídia 2015”. Mostra que a televisão ainda é o nosso meio de informação preferido, chegando a 93% da população. O rádio vem em seguida, com aprovação de 46% dos brasileiros. Isso explica por que as verbas publicitárias do governo são tão abundantes para as TVs, que atingem muito mais gente — embora de forma dispersa, nada direcionada, como a internet faz. Não por acaso, os canais não dispensam suas versões virtuais.

A rede, por sinal, é usada por 42% do povo todo — pertinho do rádio, como se vê. Diz a pesquisa que 92% dos internautas estão conectados por meio de redes sociais, sendo o Facebook a mais utilizada (83% do total), seguida pelo Whatsapp (58%) e YouTube (17%).

E olha um dado interessante: 65% dos jovens com até 25 anos acessam a rede diariamente. Você apostaria nesse segmento? Ou atacaria na faixa de 66% de usuários que só chegam à internet através de celular?

Viu como uma pesquisa cheia de números pode suscitar discussões e produtos sob medida para o cliente?

E O INSTAGRAM, quem diria, chega a 400 milhões de usuários ativos. São 80 milhões de fotos por dia. Pena que já não seja um ambiente tão inocente como há cinco anos, quando foi lançado. Pesquisando um pouquinho mais, você vai encontrar ali perfis de pedófilos e terroristas, além de comércio de produtos piratas e outras baixarias menores. Uma pena.

GANHANDO O MUNDO: Quem estiver em busca de novos desafios deve dar uma chegada no Consulado Britânico, às 8h30 da próxima sexta-feira, durante o Brazilian Tech in The UK. A ideia é mostrar como pequenas e médias empresas brasileiras podem marcar presença nas terras da Rainha.

NOTAS

AH, A HUMANIDADE...

Acabo de ver por aqui um site onde você pode encomendar caixas de excrementos, que podem ser entregues a algum desafeto de sua preferência, em qualquer lugar do mundo, a preços módicos. E também descobri que uns abestados criaram um perfil falso da Livraria Cultura no Instagram, prometendo R$ 150 em bônus para os 20 mil que se tornarem seus seguidores. Com isso, a promoção custaria nada menos que R$ 3 milhões! Generosidade demais, né não? Tudo mentira. Será que o povo não tem mais o que fazer?


HAJA SELFIE

Nos três primeiros dias do Rock in Rio, a Oi registrou três milhões de acessos em sua rede na área do evento. Foi o equivalente ao download de 1,3 milhão de fotos em alta.

E POR FALAR NISSO

O site Mashable informa que, em todo o mundo, mais gente já morreu por causa de selfies este ano do que por mordida de tubarão... É uma besteira que serve para alertar os mais tontos (e por aqui há muitos). Pessoal tem morrido caindo de lugares altos, de cima de morro, de cima de trens, ou fotografando-se nos trilhos, dentro da jaula de animais... Vaidade em excesso mata...

Últimas de _legado_Economia