Food Park será área permanente para culinária gourmet de rua

Food Trucks circulam pela cidade e ganham espaço em eventos até então fechados

Por marlos.mendes

RIO - A Tijuca, foi um bairro estrategicamente escolhido pelos sócios do Food Park Carioca. O espaço vai agregar, a princípio, 20 foodtrucks, seis foodbikes e dois foodmotos, todos obedecendo a uma escala que sugere diversidade e rotatividade. Bruno Cypestre, sócio do projeto, diz que o bairro tem um excelente potencial comercial, com escolas e pontos turísticos próximos.

Expositores da primeira edição do Gastro Beer RioDivulgação

O aluguel não é revelado pelo empresário mas a alternativa é aplaudida por potenciais empreendedores interessados no espaço. Fred Gomes, sócio-proprietário do Beer 21 é um dos empresários que aguarda a segunda chamada da Prefeitura do Rio para colocar seu truck nas ruas da cidade. E enquanto o sorteio não acontece, o empresário embarca em iniciativas como o Food Park para garantir as vendas. Gomes diz que o novo espaço é fundamental para os negócios de comida sobre rodas da cidade. “O Food Park carioca oferece uma proposta de preços diferenciada. Ja participei de eventos que cobraram alto pela diária e o retorno não foi tão positivo”, comenta Gomes.

Marina Braga, presidente da Associação de Comida Artesanal Sobre Rodas no Rio (Acaso), apoia a iniciativa e diz que o mercado precisa mesmo de ideias assim. “Temos muita gente nova chegando no mercado de trucks, a proposta vai ajudar os recém-chegados e também os que aguardam a prefeitura para ocupar as ruas”, esclarece Marina, que também é dona do truck Larica Carioca.

O Food Park Carioca vai ocupar área ao lado do Extra%2C parceiro do empreendimento%2C e vai receber cerca de 28 expositores por diaDivulgação

Apesar de já encontrarmos foodtrucks circulando pela cidade, os eventos fechados que, inicialmente, abriram espaço para a culinária gourmet de rua, continuam a todo vapor, e o próximo terá as cervejas artesanais como atração principal.

A primeira edição da Gastro Beer Rio vai inaugurar a Quinta da Boa Vista no circuito dos eventos de foodtrucks do Rio. Além dos expositores, a Alameda das Sapucaias, uma área de 3.600 metros quadrados na entrada principal do parque, vai contar, também, com intervenções de artistas que se apresentam nas ruas do Rio. Estão programados ainda, passeios guiados pela Associação de Guias de Turismo do Bairro Imperial de São Cristóvão (AGTUBIS) com visitas aos elementos arquitetônicos, artísticos e paisagísticos, culturais e científicos do parque. Para as crianças serão oferecidas oficinas de Cupcake e biscoitos decorados com a empresa Doce Amore.

Caio Delgadio é um dos sócios da Cerveja Oceânica, uma das expositoras do Gastro Beer, Delgadio conta que mesmo com pouco tempo dentro do circuito dos eventos de trucks a aceitação do público tem sido motivadora. “Ter um evento onde a cerveja é o centro das atenções vai ser ótimo para a marca”. Delgadio é produtor da região oceânica de Niterói.

Representando a categoria, também estarão nomes como Bradoque, Irada, Cerva Rock, Komcerva, Cerva Madá, Cervejaria Fraga, Cervejaria Artesanal Donna, Beer Trucks, Dead Doog, Beer 21, Mohave, Kombi Carioca, KomCerva, Saidera Beer Truck.


Foodtrucks já ocupam as ruas do Rio e barulho gera discussão

A Prefeitura do Rio disponibilizou, em agosto deste ano, 84 pontos da cidade distribuídos entre 24 bairros para o funcionamento de 38 trucks habilitados pelas ruas.

Os caminhões vão funcionar de forma itinerante, ficando, no máximo, um dia por semana em cada local. Para isso, precisam ter placa do Rio de Janeiro e o dono do negócio deve pagar uma taxa mensal de R$ 680.

Com pouco tempo nas ruas, um dos problemas que a categoria enfrenta é o barulho feito pelos geradores de energia que alimentam os trucks. O empresário Alexandre de Freitas do Joe’s Pub já teve que se explicar com alguns moradores que questionaram o incômodo. “Sabemos que incomoda, mas somos obrigados a ser autossuficientes, e um gerador silencioso custa cerca de R$ 40 mil”, esclarece Freitas. Ele explica que na Europa os empresários de foodtrucks utilizam a energia de pontos distribuídos pelas ruas, onde através do CNPJ recebem a cobrança ao final do mês.

Marina Braga, presidente da Acaso, conta que a Associação já enviou um pedido à Light para que a empresa disponibilize pontos de distribuição de energia para os trucks nas ruas. “Enviamos dois projetos à Light e estamos aguardando a resposta”, conta Marina.

Para quem quer ter o foodtruck circulando pela cidade, Marina Braga adianta que é um procedimento longo e que exige determinação e paciência.

A presidente da Acaso explica que, para quem já tem o seu truck e pretende concorrer a um dos pontos fixos oferecidos pela prefeitura, deve providenciar documentos do carro e da empresa para dar entrada na Secretaria de Turismo, que é por onde começam os trâmites.

Os passos seguintes passam pela vigilância sanitária, para que os trucks estejam dentro das exigências mínimas de higiene e conservação e pela prefeitura, onde os empresários deverão apresentar certidões fiscais e adiantar o pagamento de três meses da taxa cobrada pelo ponto. Feito isso, um contrato deverá ser assinado e este permitirá ao empresário retirar o alvará que lhe permitirá trabalhar nas ruas.


Cresce produção de veículos para gastronomia

Com o aumento de espaços dedicados aos foodtrucks na cidade, cresce junto a procura pelos serviços de criação, manutenção e customização desses veículos. No Rio a RJ Custom comemora um ano do seu primeiro foodtruck entregue na cidade, o Larica Carioca.

Ao longo desses 12 meses a empresa apresentou aumento significativo na produção dos trucks. “Nos últimos três meses do ano passado, tínhamos uma saída de três unidades por mês. Atualmente a produção chega a uma média de 10 unidades por mês”, afirma Luis Eduardo Machado, sócio-diretor da RJ Custom.

A empresa tem prazos de 30 a 90 dias para entrega do veículo pronto para uso. Os preços variam de R$ 45 mil para traillers a R$ 300 mil para caminhões de grande porte. “O investimento total varia conforme o gosto do cliente e as suas necessidades”, esclarece Machado.

A RJ Custom é responsável por adaptações e customização de veículos, transformação para quem precisa reconstruir uma unidade, manutenção e assistência técnica das unidades móveis.

Como nem todos os empresários têm garagem grande o suficiente para acomodar os trucks, a RJ Custom oferece, também, um serviço de estacionamento para os veículos, além de lavagem e higienização da cozinhas e das caixas d’água das unidades móveis. Lembrando que o produto final deve obedecer às normas da Vigilância Sanitária.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia