Saque da poupança bate recorde

É a maior retirada líquida mensal da série histórica do Banco Central, desde 1995

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Os saques da poupança superaram os depósitos em R$12,03 bilhões, em janeiro deste ano. É a maior retirada líquida mensal registrada na série histórica do Banco Central (BC), iniciada em 1995. Em janeiro de 2015, também houve retirada líquida, mas o resultado negativo foi menor, ficando em R$5,52 bilhões.

No mês passado, os clientes bancários sacaram R$161,59 bilhões. Os depósitos chegaram a R$ 149,56 bilhões. Os rendimentos da poupança ficaram em R$ 4,08 bilhões e o saldo total depositado nos bancos chegou a R$ 648,64 bilhões.

Em 2015, a poupança registrou a maior retirada líquida. O saldo negativo ficou em R$ 53,56 bilhões. O BC não registrava retirada líquida anual desde 2005 (R$ 2,72 bilhões). A poupança tem perdido atratividade devido à taxa básica de juros, a Selic, mais alta, o que torna outras aplicações mais atraentes. Outro fator é a inflação mais alta do que a remuneração da poupança. Além disso, há menos dinheiro para aplicar devido à alta dos preços, ao endividamento das famílias e ao aumento do desemprego.

A poupança rende 0,5% ao mês (6,17% ao ano) mais a Taxa Referencial (TR), 0,0957 este mês. A Selic, está em 14,25% ao ano e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (INPC) chegou a 10,67% em 2015.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia