Para vencer a crise, construtoras oferecem prestações abaixo do mercado

Alguns empreendimentos têm parcelas mensais mais baixas durante a obra. Em outros casos, as prestações são fixas

Por paulo.gomes

O residencial Fábula%2C em Jacarepaguá%2C que será lançado este ano%2C terá prestações abaixo de R%24 1 milDivulgação

Rio - Na corrida pelo cliente, quem oferece as melhores condições de pagamento tem mais chances de fechar negócio, principalmente em tempos de crise. E quando se fala em mercado imobiliário, uma das soluções encontradas pelas empresas, no caso do imóvel na planta, é oferecer prestações durante a obra com valores abaixo de R$ 1 mil.

O Poesia Carioca, da construtora Vitale, em Madureira, por exemplo, está com prestações durante a obra a partir de R$ 390. O condomínio, que fica a 1,5 km do Mercadão, terá 198 unidades, hall com seis lojas no térreo e mais de 15 itens de lazer. Também na Zona Norte, a CTV vai lançar este mês o Station Residencial, em Maria da Graça, com parcelas fixas durante a obra a partir de R$ 985. “Muitos clientes desejam comprar, mas ficam na dúvida porque pagam aluguel. Com as mensais fixas, é possível se organizar financeiramente para quitar as duas coisas”, comenta Felipe Videira, diretor da empresa.

Em Jacarepaguá, há opções de imóveis residenciais e comerciais da Leduca com prestações abaixo de R$ 1 mil. No caso do residencial Fábula, lançado este ano, as unidades de três quartos estão sendo vendidas com mensais fixas em torno de R$ 928. Já quem prefere investir em imóveis comerciais, a empresa oferece o empreendimento misto GAP, com unidades residenciais e comerciais. As salas comerciais hoje estão sendo vendidas com mensais a partir de R$ 880. Já o Guess, da Fernandes Araujo no mesmo bairro, conta com prestações a partir de R$ 850. O residencial terá 182 unidades entre apartamentos e coberturas.

Bruno Teodoro, diretor da Estrutura Consultoria, lembra que, como em toda negociação, ter cautela e pesquisar bastante as opções são dicas importantes para evitar arrependimentos futuros.

Dicas para uma compra segura

O diretor da Estrutura Consultoria, Bruno Teodoro, dá outras dicas para uma compra segura. Além da pesquisa, não esqueça de verificar a idoneidade da construtora e de guardar todos os informativos e as peças publicitárias no caso do imóvel na planta.

“É importante não comprometer mais de 30% da renda familiar com o pagamento das parcelas do financiamento. Nos sites dos bancos é possível simular o crédito. A regra vale tanto para unidades na planta quanto para as prontas”, comenta Teodoro.

Ele ressalta ainda que ter relacionamento com o banco escolhido é muito válido, pois, quanto mais relacionamento, mais vantagens.

“Vale a pena conferir as campanhas de descontos em imóveis de lançamento ou de estoque. O momento pode ser oportuno”, destaca o diretor.

FGTS e documentação

O diretor da Estrutura ressalta ainda que o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) é um ótimo aliado para a compra de moradias que não ultrapassem o limite de R$ 750 mil. Para usar o recurso, o trabalhador com carteira assinada deverá ter contribuído, no mínimo, durante três anos com o fundo.

Outra orientação do especialista é a necessidade de separar parte do salário para o pagamento de despesas com documentação, tais como a escritura do imóvel e o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia