Por thiago.antunes

Rio - "Se o prato falta sal, botamos sal. Se falta azeite, botamos azeite. Botem fé que a vida terá um sabor novo. Botem esperança, que o futuro será luminoso. Ponha Cristo nas tuas vida que terão uma vida fecunda". Com estas palavras, o Papa Francisco encerrou a missa de Acolhida aos Jovens em Copacabana, na noite desta quinta-feira.

A celebração terminou por volta das 19h40 e mais de um milhão de fiéis acompanharam. O Sumo Pontífice elogiou a disposição dos cariocas. "Eu sempre ouvi dizer que carioca não gosta de frio e chuva, mas a fé é mais forte. Parabéns, vocês são verdadeiros guerreiros". Desde cedo, milhares de peregrinos aguardavam na praia. Nem a chuva que caiu sob a cidade fez as pessoas saírem do local. Muitos peregrinos passaram mal por conta do frio e da aglomeração na multidão. Eles foram atendidos por socorristas de plantão.

Um mar de bandeiras invadiu as areias de Copacabana. Do alto dos edificios na Orla, famílias participaram da celebração nos apartamentos, com bandeiras. Às 16h15 chegou a Cruz Peregrina e a imagem de Virgem Maria, símbolos da Jornada Mundial da Juventude, chegaram ao local. Durante toda a tarde, bandas nacionais e estrangeiras se revezaram no palco para atrair os peregrinos e espantar o frio e a chuva.

Durante o trajeto do Papa, que parou no Forte de Copacabana, navios da Marinha fizeram o patrulhamento no mar.  Às 17h20, o Pontífice percorreu o trajeto de quatro quilômetros. A todo momento, as participações no palco eram emitidas simultaneamente em italiano, português, espanhol, inglês e francês. A celebração foi toda em espanhol.

O cardeal-arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, abriu a missa. Ele lembrou que a primeira JMJ foi realizada em Buenos Aires, cidade natal de Francisco, em 1987. "Depois de 26 anos, a Jornada volta à America Latina. Jovens de corações abertos recebem o Papa. A casa é nossa. Copacabana, em homenagem à Nossa Senhora, presencia essa verdadeira celebração de fé. Jovens de quase 180 países, dos cinco continentes, que vieram para o Brasil com sacrifício e enfrentando dificuldades, nós os saudamos com toda a alegria de nossos corações. Obrigado por ir ao encontro de nossos irmãos mais solicitados", disse Dom Orani.

Praia de Copacabana foi tomada por fiéisMárcio Mercante / Agência O Dia

"Cariocas sabem receber bem e dar uma grande acolhida. A todos e em cada um, um abraço afetuoso, bem-vindos à JMJ nessa cidade maravilhosa do Rio de Janeiro", inicou o Pontífice.

Com vários números musicais ao longo da celebração, o Papa Francisco lembrou a jovem Sophie, que morreu em um acidente na Guiana Francesa antes de vir para o evento. Um dos momentos mais emociantes foi a perfomance da cantora Fafá de Belém, que cantou a canção-tema Filhos de Nazaré.

Presidente da Bolívia vem à Jornada

O presidente da Bolívia, Evo Morales, assistirá na sexta-feira aos atos pelo 60º aniversário da revolução cubana em Havana, e no fim de semana virá ao Brasil para a missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), celebrada pelo papa Francisco, informaram nesta quinta fontes oficiais.

Uma fonte do Executivo confirmou à Agência Efe que Morales participará amanhã da celebração do 60º aniversário do Ataque ao Quartel Moncada, na cidade de Santiago de Cuba, a 860 quilômetros de Havana. O evento lembra o fracassado ataque liderado por Fidel Castro em 26 de julho de 1953, que se tornou a primeira ação armada contra o regime de Fulgêncio Batista, derrubado no dia 1º de janeiro de 1959.

Além de Morales, confirmaram presença os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, e do Uruguai, José Mujica. Em seguida, Morales embarcará para o Rio de Janeiro, para participar da missa de encerramento da 28º Jornada Mundial da Juventude na praia de Copacabana

Você pode gostar