Por thiago.antunes

Rio - A Marinha do Brasil intensificou a sua atuação na segurança da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), tanto na área marítima do Rio de Janeiro como em estruturas e pontos considerados estratégicos. De acordo com nota divulgada neste sábado Comando do 1º Distrito Naval, o esquema emprega 22 meios navais, entre navios e embarcações de apoio, e mobiliza cerca de 3.300 militares.

No mar, estão sendo conduzidas ações de inspeção naval e patrulha naval na orla oceânica do Rio, na Baía de Guanabara, e na área marítima da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis, no litoral sul fluminense.

Em terra, cerca de mil militares dos grupamentos operativos de fuzileiros navais, constituídos para a JMJ, atuam no patrulhamento e no controle de trânsito, e estão prontos para atuar como força de contingência. A área de atuação está dividida em 25 pontos fixos de segurança no eixo de peregrinação, desde a Central do Brasil até o monumento a Estácio de Sá, no Parque do Flamengo.

Agentes de segurança e equipes de operações especiais da Marinha também estão posicionados em Copacabana. Segundo a nota do Comando do 1º Distrito Naval, essas equipes também podem atuar no combate ao terrorismo e na defesa nuclear, bacteriológica, química e radiológica.

Você pode gostar