Por tabata.uchoa
Publicado 27/07/2013 15:41 | Atualizado 27/07/2013 18:10

Rio - O papa Francisco esteve neste sábado no Theatro Municipal do Rio de Janeiro para um encontro com lideranças políticas, culturais e empresariais brasileiras. Francisco chegou acompanhado do secretário de Estado da Santa Sé, Tarcisio Bertone, e do arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta.

Um dos que discursaram no encontro foi Walmyr Gonçalves da Silva Júnior, de 28 anos, membro da pastoral da juventude, nascido e criado no meio do narcotráfico, e que teve problemas com drogas e os superou. Hoje ele é professor de história da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio. O ato, que começou com uma introdução musical, contou também com um discurso do Papa. Ao terminar de discursar, o Papa cumprimentou os representamtes que estavam no teatro, beijou crianças no palco e ainda usou um cocar, que lhe foi dado por um representante indígena.

Papa recebeu cocar de representantes indígenas no MunicipalCarlo Wrede / Agência O Dia


O discurso

Francisco afirmou que o futuro exige uma reabilitação da política, uma visão humanista da economia, uma "sociedade mais justa" e uma política que consiga cada vez mais e melhor "a participação das pessoas, evite o elitismo e erradique a pobreza".

"Que a ninguém falte o necessário e que seja garantido a todos dignidade, fraternidade e solidariedade: este é o caminho a seguir", disse o Papa. O pontífice lembrou o profeta Amós que dizia "vendem o justo por dinheiro, e o necessitado por um par de sapatos. Suspirando pelo pó da terra, sobre a cabeça dos pobres, pervertem o caminho dos mansos" e acrescentou: "os gritos que pedem justiça continuam ainda hoje".

O Papa afirmou que quem desempenha um papel de guia deve ter objetivos muito concretos e buscar os meios específicos para alcançá-los, mas alertou que há o risco da desilusão, da amargura, da indiferença, quando as expectativas não se cumprem. O bispo de Roma se referiu à responsabilidade solidária para construir o futuro e disse que é preciso formar novas gerações que sejam capazes na economia e na política e "firmes nos valores éticos".

Francisco recebeu carinho de crianças do palco do Municipal neste sábadoCarlo Wrede / Agência O Dia


"Entre a indiferença egoísta e o protesto violento, sempre há uma opção possível: o diálogo. O diálogo entre as gerações, o diálogo com o povo, a capacidade de dar e receber, permanecendo abertos à verdade", declarou. Francisco insistiu: "Hoje, ou se aposta pela cultura do encontro, ou todos perdem; seguir o caminho correto torna o caminho fértil e seguro".

Santa Missa na Catedral Metropolitana do Rio

Antes do encontro com os líderes políticos, o Papa Francisco celebrou a Santa Missa na Catedral Metropolitana do Rio. O evento contou com a presença de religiosos, bispos e seminaristas. O pontífice ressaltou que os religiosos não devem ficar "enclausurados na paróquia". "Não podemos ficar enclausurados na paróquia, em nossa comunidade, quando tantas pessoas estão esperando o Evangelho", afirmou.

Papa Francisco cumprimenta fiéis na chegada a Catedral Metropolitana%2C neste sábadoCarlos Moraes / Agência O Dia



Você pode gostar