Peregrinos e turistas fazem fila para visitar o Corcovado

Cerca de 300 pessoas estão no Largo do Machado para embarcar nas vans rumo ao Cristo Redentor

Por cadu.bruno

Rio - Peregrinos que participaram da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e turistas fazem fila para visitar o Cristo Redentor na manhã desta segunda-feira. Cerca de 300 pessoas estão no Largo do Machado para embarcar nas vans rumo ao Corcovado.

A movimentação de fiéis no saguão de embarque do Terminal 1 do Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Galeão, ainda é grande na manhã desta segunda-feira. Passageiros enfrentam longas filas no embarque. Na Rodoviária Novo Rio não é diferente.

A JMJ terminou na manhã deste domingo, com a Missa do Envio, celebrada pelo Papa Francisco, na Praia de Copacabana, na Zona Sul. De acordo com a Prefeitura do Rio, o eventou reuniu cerca de três milhões de fiéis.

Peregrinos aproveitaram a segunda-feira para visitar o Cristo. Filas longas foram registradas no Largo do MachadoSeverino Silva / Agência O Dia


Cansados da maratona de eventos, vigília, missas e passeios pelo Rio, vários turistas dormiram nos saguões da rodoviária e do Tom Jobim enquanto aguardavam a hora do embarque. Outros faziam intercâmbio com peregrinos de outras nacionalidades e tentavam trocar lembranças. Às 2h30, um grupo de venezuelanos entoava cânticos religiosos e dançava, animando outros fiéis.

O estudante colombiano Camilo Godoi e outros cerca de 40 amigos aguardavam o voo de 8h40 para a capital Bogotá. Ele disse que o evento no Rio serviu para afirmar a fé dos católicos. O grupo espera estar em Cracóvia, na Polônia, em 2016, cidade que sediará a próxima Jornada.

Filas no Largo do MachadoSeverino Silva / Agência O Dia

O chileno Jorge Baldez disse que ficou contante com a acolhida do povo carioca durante a Jornada e fez elogios a cidade. "O Rio é atrativo, cultural, com gente 'caliente'. Mas, o mais importante foi ver o Papa Francisco. Estou contente por isso", afirmou o jovem, que aguardava o voo para o Chile na companhia de mais 12 amigos.

Na Rodoviária Novo Rio, um grupo de 55 chilenos dormia no saguão do segundo andar aguardando o embarque pela manhã. A publicitária paulista Bianca Santos, de 20 anos, enalteceu os jovens que se desprenderam do cotidiano e participaram da Jornada. "Valeu a pena vir. Foi uma grande comunhão, uma mistura de várias culturas. A juventude deixou de fazer outras coisas para pregar a sua fé", enalteceu.

Coordenadora da Pastoral da Juventude, Bianca disse que a experiência da vigília para a Missa do Envio - entre a noite de sábado e a madrugada de domingo - foi um dos pontos altos da Jornada.

Movimento foi intenso na Rodoviária Novo Rio nesta segundaSeverino Silva / Agência O Dia


"Uma noite muito fria, mas significativa e refletiva. Moradores de rua e pessoas carentes sofrem todo o dia com o frio e nós passamos só uma noite", analisou a publicitária.

Ela e mais seis jovens de São Paulo, além de um grupo de mexicanos que estavam hospedados em Vargem Grande, na Zona Oeste, decidiram passar a madrugada na rodoviária aguardando o embarque às 7h para não enfrentar congestionamento.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia