Jornalistas franceses são sequestrados na Síria, e Hollande exige libertação

O repórter Didier François e o fotógrafo Edouard Elias tinham entrado na Síria pela zona turca

Por juliana.stefanelli

Paris (França) - A rádio "France Info" informou nesta sexta-feira que dois jornalistas franceses, um repórter da emissora "Europe 1" e um fotógrafo, foram sequestrados nesta quinta-feira na região de Aleppo por um grupo de identidade desconhecida.

A emissora "Europe 1" confirmou que desde ontem não tem notícias de seu repórter Didier François e nem do jovem fotógrafo Edouard Elias, que acompanhava François desde que ambos tinham entrado na Síria pela fronteira turca na última quarta-feira. A emissora lembrou que François é um jornalista experiente e que já esteve várias vezes na Síria nos últimos meses.

Segundo a "France Info", os dois jornalistas foram sequestrados por quatro homens quando estavam em uma zona teoricamente sob o controle dos opositores do regime de Bashar al Assad. Poucas horas após tomar conhecimento do fato, o presidente da França, François Hollande, que se encontra em visita de Estado ao Japão, admitiu em Tóquio que "não tem contato com estes dois jornalistas" e ressaltou que seu governo ainda "não conhece as circunstâncias exatas" dos desaparecimentos.

"Exijo a libertação imediata destes dois jornalistas, já que eles não representam nosso país. Estas são pessoas que trabalham para que o mundo possa ter informação do que está ocorrendo na Síria", afirmou Hollande em tom contundente. "A imprensa tem que trabalhar de maneira livre na Síria, já que os jornalistas devem ser tratados como jornalistas e não como representantes do governo de nenhum Estado", completou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia