Ataque suicida próximo à Suprema Corte mata 17 civis na capital afegã

Autor do atentado ativou explosivos perto da embaixada dos Estados Unidos

Por juliana.stefanelli

Cabul (Afeganistão) - Pelo menos oito civis morreram e outros 39 ficaram feridos nesta terça-feira depois que um terrorista suicida detonou uma carga explosiva junto a um ônibus usados por funcionários da Suprema Corte em Cabul, uma fonte policial. O autor do ataque, que se encontrava em um veículo, ativou os explosivos por volta das 16h30 locais (9h de Brasília) na região de Masoud Square, onde se encontra a embaixada dos Estados Unidos, afirmou o subchefe da polícia de Cabul, Dawood Amin.

Um porta-voz do Ministério de Interior do Afeganistão, Mohammed Nazir Danish, detalhou que entre os mortos havia mulheres e crianças e que a polícia está fazendo o possível para transferir os feridos ao hospital mais próximo. Este é o segundo ataque de envergadura realizado pelos insurgentes na capital afegã nesta semana, já que na sefunda-feira um comando talibã efetuou um contra o aeroporto da capital afegã uma ação que resultou na morte de sete terroristas.

Ataque suicida no Afeganistão com explosivosEFE

Os atentados suicidas, junto com os artefatos explosivos improvisados, são os métodos mais recorrentes dos talibãs para fazer frente contra as forças afegãs e internacionais, embora, na prática, estas ações tenham causado um elevado número de vítimas civis. Segundo a missão da ONU no Afeganistão (Unama), a guerra afegã causou 2.499 vítimas civis somente nos primeiros cinco meses do ano, o que supôs um aumento de 24% em relação ao mesmo período do último ano.

O processo de retirada das tropas internacionais no Afeganistão se encontra em andamento e, segundo os prazos previstos, deve ser concluído em 2014, apesar da violência no país continuar intensa.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia