Por bferreira

Rio - As manifestações que estão tomando as ruas têm provocado o uso de armas não-letais por parte de soldados da Polícia Militar. E todo cuidado é pouco com a saúde: a exposição a altas concentrações das substâncias químicas contidas nas bombas causa danos, afetando as vias repiratórias, os olhos e a pele.

Se o contato com o gás for inevitável%2C o conselho dos médicos é procurar lugar calmo e se lavar com água correnteEfe

Alexandre Cardoso, chefe de Pneumologia do Hospital do Fundão, esclarece que o spray de pimenta e a bomba de gás lacrimogêneo causam reações semelhantes no corpo. “Inalados através do nariz ou da boca, estes gases inflamam as vias aéreas superiores causando uma espécie de alergia, que gera ardência, lágrimas, tosse e espirros.” Segundo ele, em pessoas com problemas respiratórios, como asma e bronquite, os efeitos são prolongados e podem piorar ainda mais os sintomas da doença.

Já na região ocular, o contato com esses componentes causa inchaço, vermelhidão, lacrimejamento e visão embaçada, diz o oftalmologista Leôncio Queiroz. Segundo ele, quem usa lentes de contato e óculos sofre ainda mais, pois as substâncias ficam concentradas nesses acessórios.

Em casos de ferimentos por balas de borracha ou estilhaços de bomba de gás lacrimogêneo nos olhos, o efeito é ainda mais sério. “Um sangramento interno ou perfuração no globo ocular pode gerar glaucoma, catarata traumática e até cegueira”, alerta o especialista.

FILTRO SOLAR PROTEGE

Já no caso da pele, a dermatologista Suely Cardoso, do Hospital do Fundão, afirma que os efeitos vão de irritação a alergias. “É importante utilizar protetor solar antes das manifestações e cobrir a pele o máximo possível”, diz a médica. “Exposta ao sol, a pele fica mais sensível e a queimação proveniente do spray de pimenta pode arder ainda mais.”

Seja qual for o armamento usado ou a região do corpo afetada, os especialistas orientam o cidadão a manter a calma, procurar um lugar tranquilo — de preferência contra o vento — e lavar o corpo com água corrente. Caso persistam os sintomas, é preciso ir ao médico.

Você pode gostar