Pandas terão 'reality show' particular na China

'Canal dos Pandas Gigantes' está disponível no site 'ipanda.com'

Por juliana.stefanelli

Pequim (China) - Os ursos pandas, orgulho nacional da China e uma das espécies em maior perigo de extinção, terão a partir de agora um canal televisivo que gravará suas atividades durante 24 horas por dia, segundo anunciou nesta segunda-feira a televisão estatal chinesa "CFTV".

O "Canal dos Pandas Gigantes", que por enquanto está disponível apenas na internet (ipanda.com), será elaborado a partir de imagens obtidas por 28 câmeras que foram instaladas na principal reserva de pesquisa e criação destes animais, situada na cidade de Chengdu.

Os espectadores poderão escolher as imagens colhidas em seis recintos, incluindo um no qual são criados os bebês pandas e onde residem os filhotes gêmeos, muito frequentes nesses animais quando são utilizadas técnicas artificiais de concepção.

O canal começará a transmitir imagens, oficialmente, em agosto, embora tenha iniciado suas operações de modo experimental nas últimas semanas, e com isso o site já atraiu cerca de 15 mil visitantes. É possível que o canal ofereça imagens dos ursos Po e De De, nascidos no zoo de Madri, mas que em maio viajara à China para residir permanentemente no país.

O urso panda, que em estado selvagem só pode ser encontrado na China, corre perigo de extinção devido à redução das florestas de montanha onde vive, que produziu endogamia na espécie e com isso grandes dificuldades reprodutivas. Atualmente, cerca de 1.600 exemplares da espécie vivem em estado selvagem, aos quais é preciso acrescentar outros 210 em cativeiro, dos quais 150 encontram-se na reserva de Chegdu, onde desde agora os pandas são observados por câmeras e espectadores.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia