Mulher volta à vida após 42 minutos clinicamente morta na Austrália

Mesmo estando considerada morta, médicos não desistiram e usaram dispositivo de compressão, que desbloqueou artéria

Por helio.almeida

Austrália - O marido e os filhos choravam a morte de Vanessa Tanasio, 41 anos, vítima de uma parada cardíaca. Mas o choro acabou após os médicos darem a informação de que a mulher que estava morta há cerca de 42 minutos havia "ressucitado" para espanto dos profissionais. Vanessa teve a morte atestada pela equipe de um hospital em Melbourne, na Austrália, onde estava internada desde a semana passada devido uma artéria bloqueada. 

Vanessa deu sinais de vida após mais de 40 minutos já ter sido considerada mortaReprodução Internet

Mesmo estando considerada morta após o ataque do coração, os médicos se recusaram a desistir e usaram um dispositivo de compressão chamado de Lucas 2 para manter o sangue fluindo para seu cérebro enquanto o cardiologista Wally Ahmar abriu uma artéria para desbloqueá-lo. Uma vez desbloqueado, o coração voltou em um ritmo normal, informou o Daily Telegraph.

"(Eu usei) múltiplos choques, vários medicamentos apenas para ressuscitá-la", disse Ahmar. "Na verdade, isso é um milagre. Que eu não esperava que ela fosse tão bem". Tanasio disse que está grata por estar viva. "Lembro-me de estar no meu sofá, depois no chão, em seguida, chegar ao hospital, e, em seguida, só dois dias depois". "Eu estava morta por quase uma hora. É surreal", disse ao Huffington Post.

O dispositivo Lucas, usado para reanimar Vanessa, comprime fisicamente o peito, permitindo que os médicos trabalhem sem parar para colocar um stent em uma artéria bloqueada. É a primeira a vez que um paciente tem utilizado com sucesso o aparelho, que foi doado ao centro médico, disse que o Centro Médico Monash. Morte clínica é um termo médico para quando alguém pára de respirar e seu sangue para de circular.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia