Coreia do Norte fuzila ex-namorada de ditador e mais 11 pessoas em público

Grupo foi acusado de pornografia por tirar fotos durante orgia

Por helio.almeida

Ditador teria relacionamento que durou 10 anos com a cantora fuziladaReprodução Internet

Coreia do Norte - Uma mulher tida como ex-namorada do ditador norte-coreado Kim Jong-un foi fuzilada junto com mais 11 pessoas de uma orquestra acusada de gravar e vender pornografia, informou o jornal sul-coreano South China Morning Post, citando fontes chinesas. O grupo teria tirado fotos durante uma orgia.

De acordo com a publicação, a mulher é a cantora Hyon Song-wol, da banda Pochonbo Electronic Ensemble, que foi presa no dia 17 deste mês com outros 11 artistas da Orquestra Unhasu e da banda Wangjaesan Light Music. Eles teriam violado as leis norte-coreanas contra pornografia.

Após três dias na prisão, eles foram executados em público. Entre os presentes estavam os familiares dos fuzilados. Depois das execuções, os parentes das vítimas foram levados para campos de concentração, enquanto os dois grupos musicais foram desmantelados.

Acredita-se que Kim Jong-un manteve uma relação com a cantora por cerca de 10 anos. Eles teriam rompido porque Kim não teve aprovação de seu pai e antecessor King Jong-il. Após a ruptura, Hyon se casou com um soldado, enquanto Kim Jong-un se casou com outra cantora, Ri Sol-ju, que também foi integrante da orquestra Unhasu.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia