Energético faz jovem beber mais álcool

Combinação ‘mascara’ a embriaguez, elevando consumo e risco de acidentes

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Sãu Paulo - Pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) com 8.672 universitários das 27 capitais brasileiras comprovou o perigo de misturar bebidas alcoólicas com energéticas. De acordo com a análise, um em cada cinco estudantes consome este tipo de drinque. Com isso, aumenta em cinco vezes o risco de se exagerar na bebida; em três vezes o de dirigir em alta velocidade; e em quatro vezes o de se envolver em acidentes graves.

Mistura de bebida energética com álcool é usada por um a cada 5 jovensReprodução

Os jovens que participaram da pesquisa beberam nos últimos 12 meses. A maioria (78,9%) disse ter usado apenas álcool. Mas índice alarmante (21,1%) admitiu a mistura com energéticos. Outros 3.361 estudantes acabaram sendo excluídos do estudo por terem usado drogas ilícitas no mesmo período.“Tomados com álcool, os energéticos podem mascarar os efeitos da bebida. A pessoa bebe mais, sem perceber”, afirmou à ‘Folha de SP’ um dos autores da pesquisa, o psicólogo Frederico Eckschmidt, do Departamento de Saúde Preventiva da USP.

Os energéticos, ricos em cafeína, tornam o drinque mais doce, fazendo o consumo aumentar. E, segundo Eckschmidt, aumentam o efeito de ‘desinibição’ provocado pelo álcool, mas reduzem a sensação de embriaguez.

Eckschmidt esclareceu que há limitações no trabalho. Não houve como saber, ainda, se o maior fator de risco está na mistura ou no excesso de álcool consumido pelos jovens. São necessários estudos complementares.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia