Por juliana.stefanelli

Paris (França) - França, Estados Unidos e Reino Unido pediram nesta segunda-feira ao Conselho de Segurança (CS) da ONU que aprove uma "resolução forte" sobre o conflito na Síria "que preveja consequências sérias" se os acordos de Genebra não forem cumpridos. O ministro de Relações Exteriores francês, Laurent Fabius, disse que o compromisso alcançado no sábado na cidade suíça entre a diplomacia dos Estados Unidos e Rússia para conseguir o desarmamento químico da Síria é "um avanço importante".

"Não há uma solução militar para este conflito, a solução é política", disse Fabius, que falou com a imprensa junto com o secretário de Estado americano, John Kerry, e o ministro britânico das Relações Exteriores, William Hague.

Paulo Pinheiro, integrante brasileiro na ONU, durante comissão da Comunidade Internacional em GenebraReuters

"Temos que fazer o regime entender que não há outra saída além da mesa de negociações", disse Fabius em mensagem para as autoridades de Damasco. O chanceler francês, anfitrião do encontro entre os três chefes diplomáticos em Paris, argumentou que para uma "negociação política é preciso uma oposição forte e para reforçar a oposição se organizará em Nova York uma reunião em torno do Conselho Nacional Sírio (CNS)".

O ministro francês disse que o acordo de Genebra comprova que "a atitude de firmeza deu seus frutos", já que o regime de Bashar al Assad se teve que comprometer a entregar as armas químicas que até há pouco negava sua existência. Agora o "acordo deve ser rapidamente aplicado" para anular a ameaça química, afirmou Fabius.

A entrevista dos representantes da diplomacia dos Estados Unidos, França e Reino Unido aconteceu depois que os três se reuniram em Paris com o presidente francês, François Hollande, e antes de um almoço comum de trabalho.

Você pode gostar