Irlanda deixará programa de assistência econômica sem solicitar ajuda adicional

Decisão foi tomada após revisão trimestral realizada pela Comissão Européia, Banco Central Europeu e FMI

Por karilayn.areias

Dublin (Irlanda) - O primeiro-ministro da República da Irlanda, Enda Kenny, anunciou nesta quinta-feira que seu Governo vai deixar o resgate da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) no dia 15 de dezembro sem necessidade de solicitar ajuda econômica adicional. Em discurso ao Parlamento de Dublin, Kenny assegurou que esta é a "decisão correta" para a Irlanda após aplicar com sucesso os conteúdos do programa de ajuda solicitado em 2010 à UE e ao FMI no valor de 85 bilhões de euros.

A troika formada por Comissão Europeia (CE, órgão executivo da UE), Banco Central Europeu (BCE) e FMI certificou em outubro, em sua última revisão trimestral, os progressos feitos pela Irlanda para cumprir os objetivos do resgate e deu sinal verde para que Dublin o abandone no próximo mês.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia